segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Postagem de Fim de Ano.

Perguntaram-me se eu não escreveria nenhuma mensagem de Fim de Ano. Realmente essa não era a minha vontade. Todo ano recebo dezenas de mensagens de Natal com diversos desejos nelas contidos. Contudo, por ser portador de TDAH, muitos já sabem que ficar lendo mensagens grandes acabam por me entediar.

Mesmo sem ter vontade de falar nada sobre as festas de fim de ano resolvi deixar aqui apenas uma passagem. Tem a “famosa” música da SIMONE – Então é Natal – que é uma tradução livre da música Happy Christmas (War Is Over) de John Lenon, que diz em sua letra o seguinte:

Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Então é Natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom Natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Então é Natal, o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem...

Para mim Natal e Fim de Ano significam reflexão sobre as coisas que se passaram e sobre as que virão. O Natal é uma festa cristã e independente dela, me importa saber se estamos nos importando com o que é o bem e, mais ainda, se conseguimos ao final de 365 dias refletir sobre o que fizemos nesses dias.


Um abraço a todos e um 2008 diferente – COM DEUS NO CORAÇÃO.

Generosidade.

Você já pensou em ser generoso? Não? Por que? Por não ser possuidor de muitas posses? Pois essa resposta está errada. Mesmo aqueles que não são dotados de muitos bens, podem e devem ser generosos.

Uma das maneiras mais maravilhosas que o ser humano tem para ser generoso é o ato de compartilhar opiniões, informações e conhecimento. Todas as vezes que um pai senta ao lado da cama de seu pequeno filho e lhe conta uma história, mal sabe ele que este gesto é de grande generosidade.

Um outro hábito que enxergo ser generoso é o de defendermos o próximo contra a fofoca. Ser coerente não hora de falar e ouvir é um ato que considero avaliador do caráter de alguém.

Todos os seres humanos deveriam optar em suas vidas por serem generosos e bondosos ao invés de mesquinhos e maldosos. Sempre que pudermos doar de nossa abundancia, devemos fazê-lo livremente e sem ressentimento. Se assim agirmos, nunca seremos escravos de nossas posses e bens.

Na Bíblia encontramos uma passagem na qual Jesus diz ser mais fácil passar um camelo pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus. (Mt 19:24). Essa passagem já demonstra o quão difícil é para o ser humano ser generoso. A riqueza muitas vezes é acompanhada da avareza.

É meu intuito nos próximos dias falar um pouco de algumas virtudes que considero importantes na vida das pessoas. Comecei pela simplicidade, passei pela generosidade e ainda quero falar sobre outros temas se o Senhor permitir.

Um abraço a todos.

Mensagem de Fim de Ano

Quando as tempestades da vida
Surgem escuras à minha frente,
Me recordo de maravilhosas palavras
Que uma vez eu li.


E digo a mim mesmo:
Quando pairarem nuvens ameaçadoras,
Não dobre suas asas
E não fuja para o abrigo.


Mas, faça como a águia,
Abra largamente as suas asas
E decole para bem alto,
Acima dos problemas que a vida traz.


Pois a águia sabe
Que quanto mais alto voar,
Mais tranqüilos e mais brilhantes
Tornam-se os céus.


E não há nada na vida
Que Deus nos peça para carregar
Que nós não possamos levar planando
Com as asas da oração.


E ao olhar para trás
Verá que a tempestade passou,
Você encontrará novas forças
E ganhará coragem também.

(Tradução de Sergio Barros do texto de Helen Steiner )

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Simplicidade.

Às vezes me pego pensando até que ponto devemos ser “simples”. No pensamento que postei encontrei uma verdade: a de que as pessoas mais simples são menos preocupadas, têm menos medo da “vida”.

A simplicidade não nos garante isenção de qualquer tipo de tribulação. Todavia após a passagem do tormento, ela no máximo deverá ser acrescida de sabedoria e compaixão.

Considero a simplicidade uma virtude, pois viver de forma simples valoriza nossa vida. Devíamos nos satisfazer em desfrutar das coisas que Deus tem nos dado. Não que devamos nos abster de buscar melhorias em nossas vidas, mas essa busca deve ser feita sem abandonarmos nossos princípios, nossa família e aqueles que são queridos por nós.

Você até pode ser chamado por Deus a realizar algo de grande valor, ou até mesmo confrontar um superior cujas atitudes não pareçam estar corretas. Todavia nosso chamado pode ser apenas para vivermos bem no ambiente em que nos encontramos. O certo é que cada um tem em si uma jornada única, que pode ser envolver abandonarmos tudo ao nosso redor ou quem sabe apenas abençoar aqueles que estão ao nosso redor.

Um abraço a todos.

Pensamento II

"Se as pessoas estão livres do medo e da preocupação, é porque são simples, e devemos mantê-las assim em segredo". - J.R.R. Tolkien

Pensamento.

"A força não é criada pela adversidade - é simplesmente despertada por ela."

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Você já tentou mudar o jeito de ser de alguém?

Ontem recebi esse e-mail. Diante da falta do que dizer a respeito fiz questão apenas de reproduzi-lo. Com certeza sou uma pessoa que vive criticando o modo como as pessoas lidam com o seu próximo, principalmente quando o próximo está dentro da sua família. Todavia posso estar enganado em achar que as pessoas devem ser pelo menos mais amorosas, ao invés de críticas, e esperar em Deus a mudança de comportamento do outro. Tenho que refletir a respeito, mas enquanto isso fica aqui a mensagem que recebi. Os créditos seguem logo abaixo.

Você já tentou mudar o jeito de ser de alguém? Pois é um grande erro de nós seres humanos. Mas quem nunca tentou? Deus nos criou com propriedades. Temos diversas características que nos fazem diferentes uns dos outros. Imagine se fôssemos todos iguais? Como seria chato não é mesmo? É muita prepotência e arrogância de nossa parte pensarmos que podemos mudar o jeito de ser de alguém para o jeitinho que queremos. Mas por outro lado o que fazer para lidar com as situações adversas que surgem em razão da incompatibilidade de personalidades?

O primeiro passo é compreender que somente Deus pode mudar não só as pessoas mas qualquer situação. “E Todos nós, com o rosto desvendado, comtemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”(1Co 3.18). Ao invés de ficarmos tentando mudar o jeito de ser de alguém é muito mais fácil buscar de Deus a transformação. É importante ressaltar que isso só acontece se esta for a vontade de Deus, afinal não podemos sair por aí afora querendo que as pessoas mudem por um capricho nosso.

Outro item importante é perceber se não é implicância de nossa parte tomar por insuportável as atitudes das outras pessoas. Ás vezes uma simples mania se transforma em algo irritantemente grandioso. Será que o problema não está em nós mesmos? Afinal no mundo de hoje o ser humano tem se tornado cada vez mais egoísta e intolerante e acabamos por não compreender os defeitos dos outros. Precisamos aprender a conviver em paz e amor. Ao invés de brigar precisamos ajudar aos irmãos em suas dificuldades ou deixar para lá o que não é grave.

Eu mesma, pego-me constantemente tentando mudar o jeito de ser das pessoas próximas a mim que acabaram de se converter, por exemplo, mas Deus tem me mostrado que elas irão mudar suas atitudes de acordo com o poder que vem dele. Muitas vezes, queremos que as pessoas ajam diferente de como agiam no passado, num piscar de olhos, de um dia para o outro. Cada ser humano leva um tempo específico para ser transformado e isso deve ser levado a sério por todos nós.Este assunto pode parecer algo simples, ou até mesmo, irrelevante, mas isso pode se tornar um complicador em nossos relacionamentos cotidianos, seja com nossa família, amigos, colegas de trabalho e mais ainda, com o cônjuge.

Se o jeito de ser de alguém lhe incomoda, reflita se isso é um desvio de cárater ou se é simplesmente uma mania boba que pode ser relevada mediante tantas coisas boas que aquela pessoa representa ou faz por você. Em ambos os casos a melhor opção que temos é a de ajudar com amor as pessoas que estão próximas a nós. Auxiliando-aa em suas dificuldades, sem cobrar, mas incentivando-as para que ela busque de Deus o que ele quer desta pessoa.

Que Deus abençõe a todos!

Por Vanessa Freitasredacao@lagoinha.com

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Pensamento.

Nesse Natal ganhei da minha madrinha um livro de presente. Certamente ganhar um livro é acertar em cheio nos meus desejos. Desde que comecei o meu tratamento do TDAH me tornei um leitor assíduo de livros (bons e ruins). O que ganhei, em particular, me parece ser muito bom. Veremos.

“Alguns não conseguem afrouxar suas próprias cadeias e, não obstante, conseguem libertar seus amigos”.

“Você tem que estar preparado para se queimar em sua própria chama: como se renovar sem primeiro se tornar cinzas?”

Zaratustra.

Passagem retirada do livro: “Quando Nietzsche chorou” – Irvin D. Yalom


Identifiquei-me bastante com essas frases iniciais do livro. Primeiro por sempre achar que tenho uma facilidade enorme de ajudar ao próximo, porém, volta e meia, me vejo às turras com minhas próprias cadeias.

Em segundo lugar, sempre tive esse questionamento. Renovação. Principalmente nessa época de Natal que sempre ouvimos votos de renovação. O que percebo é que para atendermos esse propósito, necessitamos, tal como a ave Fênix (da mitologia egípcia), nos tornarmos cinzas para então surgirmos com um ânimo novo. Eu certamente acharia uma comparação bíblica para o que estou querendo dizer, mas no caso específico preferi esse exemplo que me parece mais ilustrativo.

Um abraço a todos.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Disposição.

Cada um de nós nasce com uma certa disposição. Essa disposição diz respeito ao caráter do ser humano. Podemos ser duros, frágeis, com extremo senso de justiça. Essa atitude justa muitas vezes não é bem repassada ao próximo, pois a falta de delicadeza e doçura pode amargar o próximo.

No fundo não devemos ser extremados em nada. Não devemos ser nem muito temerosos nem muito duros. O excesso de temor nos faz bonzinhos demais e o excesso de dureza, como disse acima, amarga o outro.

Mas o que mais me chama a atenção é o fato de algumas pessoas terem a vontade de ser “o cabeça” em tudo. Nada passa desapercebido por elas. Tais pessoas buscam se exibir e procuram sempre ser o centro da atenção. Se não são notadas ficam frustradas, pois a necessidade de sobressair é imponente.

Eu, apesar dos defeitos que citei acima, prefiro me policiar para ser o mais discreto possível. Tento fazer minha parte em tudo, participando, lutando em prol do coletivo. Se fico atento aos defeitos dos outros, não tenho tempo de aproveitar suas qualidades. Se meu caráter é falho, serei derrotado na vida. Todo mundo tem um potencial. Acredito na possibilidade que tenho de extrair, como um azeite de boa qualidade, o melhor que as pessoas têm dentro de si. Quanto a seus defeitos, tal como no caso do azeite, o que não presta é descartado, deixado de lado.

Peço a Deus a cada dia que me livre de enganar a mim mesmo. Ter um coração honesto é prerrogativa primeira para se agradar a Deus e ser abençoado por Ele.

Um abraço a todos.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Escrevendo por escrever...

Ontem me perguntaram se a postagem que fiz era direcionada para alguém. Certamente não escrevi pensando em ninguém especificamente, mas minha intenção é sempre trazer uma mensagem que possa ser aproveitada por todos, inclusive por mim.

Hoje a chuva me trouxe um extremo desânimo. Por mim só choveria a noite, enquanto dormimos. Seria uma ótima coisa. Teríamos o benefício da chuva, porém sem o incômodo que ela traz tal como caos no trânsito, ter que molhar os pés e etc.

Esse desânimo que tomou conta de mim me fez repensar sobre a postagem de hoje. Poucas vezes me distraí e escrevi aleatoriamente, sem saber bem aonde queria chegar. Sendo assim, aqui vai o primeiro post dessa maneira.

Voltando ao caso da chuva, penso qual o motivo para eu sempre esquecer meu guarda-chuva em algum lugar. A resposta veio clara em minha mente: Sou distraído... Acabei de chegar, um tanto quanto molhado e percebo que o meu protetor contra a chuva permanece pendurado no mesmo local que o deixei desde sei lá quando. Tolice a minha achar que vou lembrar dele quando sair do serviço hoje à tarde. Somente se a chuva perdurar até lá é que me lembrarei dele novamente.

Estou tentando lembrar de um episódio qualquer de minha vida “louca” que não tenha sido relatado aqui. Faz tempo que não procuro vasculhar minha mente atrás de uma história interessante para contar. Perdi aquele ânimo inicial, onde as minhas aventuras permeavam esse Blog.

Vou fazer o seguinte: Vou passar o final de semana pensando em novos casos a serem contados e a partir da semana que vem voltarei com minhas histórias. Isso mesmo. Esse será meu objetivo. Voltar a lembrar do meu passado para que assim eu possa inclusive completar o roteiro do meu livro. Ah, pensaram que eu tinha esquecido, certo? Pois bem, não esqueci não. O livro ainda vai sair... se Deus quiser.

Bem vou ficando por aqui. Um forte abraço a todos.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

O que você busca?

Outro dia li um relato no qual Carl Jung descrevia em um de seus livros uma conversa que manteve com um índio norte-americano. Achei interessante o fato do chefe indígena ter comentado que achava o homem branco sempre com o semblante tenso, olhos espantados e ar cruel, como se vivesse em busca de algo.

Engraçado o ponto de vista do chefe. E ele não deixa de ser verdade. O que estamos à procura? Parecemos sempre inquietos e insatisfeitos. No fundo no fundo, parece que não sabemos o que queremos. Aquele índio acha que somos loucos...

Jesus certa vez perguntou a seus discípulos se os pensamentos ansiosos deles poderiam acrescentar um dia sequer na vida deles. Essa foi uma grande verdade dita por Cristo.

Muitas vezes parecemos descontentes com as atividades que desempenhamos. Demonstramos não estar satisfeitos com o trabalho desempenhado ou até quem sabe algo nos aborreceu tal como ter que fazer algo com o qual não concordemos. Quem sabe não existe um ressentimento em relação a alguém próximo a nós.

A verdade é que esses sentimentos não só atrapalham nosso desempenho como também corrompe todo o ambiente em que nos encontramos. Nossas emoções são transmitidas pelo nosso corpo, mesmo que assim não o desejamos.

Independente de nossa atividade ser tediosa ou até mesmo ter alguém ao nosso lado que seja desonesto, irritante ou o que quer que seja, quero dizer a vocês que isso é irrelevante. O fato de sentirmos ou não algo não muda a situação como um todo. O que acontece é apenas que nos tornamos infelizes e essa infelicidade contamina o ambiente.

Minha sugestão passa pelo óbvio. Se você está insatisfeito com o que faz, busque novas alternativas. Se alguém te irrita por algum motivo, procure essa pessoa para conversar. Se livre desses sentimentos de maneira que o clima se torne ameno ao seu redor. Isso fará muita diferença não só para você como também para os que estão ao seu redor. Não quero de maneira alguma reprimir os sentimentos. Tanto a raiva quanto o mau humor são pertinentes ao ser humano. O que quero dizer é que as situações devem ser tratadas para que esses sentimentos não perdurem por tempo desnecessários.

Um abraço a todos.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Futuro.

Baseado na minha postagem anterior, me vi diante de um dilema. Qual o meu propósito daqui pra frente? Tenho eu um intento daqui por diante ou ficarei sem rumo? O tênis deixará de existir para mim ou voltarei a jogar algum dia?

Bem vamos deixar isso de lado por um instante.

Propósito significa futuro. Sendo assim, como conciliá-lo com o presente?

Toda vez que partimos em uma jornada, faz bem sabermos pelo menos a direção que devemos tomar. Todavia o que existe de real nessa jornada é apenas o passo que estamos dando no momento presente. É claro que queremos chegar ao nosso destino ou alcançar aquele objetivo, e esse realizar envolve claramente o tempo futuro. Mas esse futuro não pode nos tomar tanto a atenção de forma que ele se torna mais importante do que o momento que estamos vivendo.

É de extrema importância sabermos “aonde” estamos indo, porém é mais importante ainda sabermos “de que modo” estamos indo, qual a qualidade do nosso momento presente.

Se todos nós dermos passos de qualidade no presente, estejamos certos de que a probabilidade de vermos nossas pretensões realizadas aumenta exponencialmente. Sendo assim, mais importa saber a qualidade do nosso viver presente, do que o intento que temos para o futuro. Se vivermos qualitativamente bem no presente, provavelmente pouco importará sermos bem ou mal sucedidos em nossa jornada (terrena). Jesus certa vez discorreu a esse respeito e disse: “de que adianta ao homem ganhar o mundo e perder sua alma...”. De nada adianta alcançarmos um propósito em nossas vidas, se não nos preocupamos com a maneira com que estamos vivendo o presente.

Voltando ao assunto do início da postagem, daqui pra frente vou me preocupar com o tratamento do meu ombro (essa é a direção). Farei fisioterapia, cuidarei da minha postura, tentarei não dormir em cima do ombro direito, talvez farei a cirurgia, dentre outras pequenas coisas que posso fazer no presente. Se essas atitudes não me fizerem voltar a jogar tênis amanhã, certamente elas me ajudarão a viver melhor o meu momento presente. Penso que o simples fato de não mais sentir dor já seria um grande alívio. Agora vocês podem adaptar o que disse a várias situações de suas vidas. Cabe a vocês saber em quais delas.

Um abraço a todos.

Retorno médico.

Ontem estive em um outro ortopedista para ver a questão do meu ombro. Infelizmente eu estava certo ao duvidar do que o médico anterior tinha me dito. Em primeiro lugar, o Edema Ósseo que estou com ele tem sim relação com o tênis. Isso já me deixou aliviado. Segundo, a ressonância magnética que fiz não foi suficiente para verificar se estou realmente com parte do ligamento rompido. Certo é que terei que fazer uma tal de artro-ressonância magnética que, através do contraste, vai dizer com maior precisão se precisarei ou não de fazer uma artroscopia. Triste, mas é a realidade. Meu ligamento supra-espinhoso está de mal a pior...

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Audiência Pública

ABDA NA CAMÂRA DOS DEPUTADOS - BRASÍLIA

"No último dia 25/10/2007, a ABDA participou de Audiência pública , na Camâra dos Deputados, sobre Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e suas conseqüências na vida escolar e social do aluno.Na Audiência estavam presentes representando a ABDA a Diretora Executiva Psicológa Iane Kestelman, a psicológa e neuropsicóloga Angela Alfano e o Médico Daniel Segenreich, que fizeram palestras para os deputados da Comissão de Seguridade Social e Família.O deputado Alceni Guerra - DEM/ PR - responsável pela inicativa junto com o pai de portador Jair Alexandre Alves da Silva, é relator de um projeto de Lei que propõe a criação de uma Lei específica para os portadores de TDAH no Brasil, com vistas a reduzir os prejuízos acumulados ao longo da vida escolar de crianças e adolescentes. Tal Lei busca ser efetiva na INCLUSÃO dos portadores de TDAH como portadores de necessidades especiais junto ao MEC ( MInistério de Educação e Cultura)."
Parabéns à ABDA pelo trabalho de divulgação e pelo esforço na luta por uma legislação específica para os portadores de TDAH.

Acabou a festa...

Nesse final de semana aconteceu a tão badalada festa de final de ano aqui da empresa (Supermercados BH). Esse ano a festa estava impecável. Como sempre, muita comida e bebida, com direito a coquetéis dos mais variados. Isso sem falar no Show de Marcelinho de Lima e Camargo bem como a presença dos Big Brothers Bruna e Cowboy. Realmente a festa foi muito boa. Mas como tudo na vida ela acabou.

Desde que minha adolescência se deu por finada tenho por hábito me manter o mais discreto possível. Sempre detestei que as pessoas mantivessem seus olhos e suas bocas presas a mim. Sendo assim, principalmente quando temos eventos dessa natureza – festa – procuro passar desapercebido por todos. Esse ano até que tirei muitas fotos com meus colegas de empresa, mas esse não é um hábito meu.

Ontem pela manhã, coloquei para o pessoal da minha sala ouvir o comentário do Sr. Max Gehringer no quadro “Emprego de A a Z” do Fantástico. Não pedi para prestarem atenção em nada específico, a não ser nas quatro regras de comportamento que ele cita no quadro, que se relacionam diretamente com as explicações que as pessoas terão que dar no dia seguinte. Seriam elas: Não exagere na bebida, escutar muito e falar pouco, concentrar-se nos elogios ao invés das críticas e a não menos importante, quando você achar que está na hora de ir embora, quer dizer que essa hora já passou há muito tempo.

Todos nós temos nossos desejos e anseios. Esses anseios são manifestações do nosso ser em busca de satisfação nas coisas externas, nas coisas futuras. As nossas necessidades e desejos nos dominam. Vivemos em busca de uma satisfação que o mundo não pode nos dar.

Desde que o homem decaiu do estado da graça e passou a ser dominado pelo tempo, ele perdeu a concepção de Deus. Esse estado acaba nos fazendo sofrer emocionalmente. Sempre que buscamos uma saída para esse sofrimento nas coisas do presente, acabamos sofrendo mais ainda. Muitos de nós já experimentamos a sensação de ficar “alto” à base de bebidas alcoólicas. Sendo assim temos a clara ciência de que esse “alto” acaba se transformando em “baixo” no dia seguinte.

Isso sem falar nas relações íntimas, que podem ser o nosso paraíso sentimental, mas também podem se transformar em nosso abismo terreno, fonte de sofrimento.

Gostaria de deixar aqui uma impressão que tenho acerca do nosso dia a dia. Devemos nos conscientizar de que a vida não é livre dos sofrimentos e das mágoas, todavia podemos contribuir para a dimensão que esses sofrimentos e mágoas tomam em nossas vidas. Para tanto, basta termos um pouco de bom senso e autocrítica de forma a não contribuirmos conscientemente com os erros que já estão presentes em nossas vidas.

O tempo que temos aqui é precioso e precisamos aprender a utilizá-lo com sabedoria ao invés de desperdiçá-lo.

Um abraço a todos.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Errar é humano, sonhar é divino.

A realização sempre é alcançada através de um caminho repleto de acidentes. Todos os erros que cometemos na vida são de valor inestimável para nós. As experiências com os erros deviam ser sempre exaltadas. Sábio aquele que aprende com seus erros.

Outro dia estava vendo minha pequena filha tentando caminhar. É impressionante como ela é persistente. Parece aquela propaganda do governo que diz “ela é brasileira e não desiste nunca”. São várias as tentativas e vários os tombos. Mas ela não se dá por vencida, sabe que vai conseguir. Em apenas nove meses de vida, Isabella já percebeu, mesmo que sem querer, que, se não insistir para conseguir as coisas que quer, ela se frustrará durante sua vida. Mas o maior segredo de tudo está no fato dela não ser punida por tentar! Exatamente. Toda vez que ela tenta se levantar e andar, sempre tem alguém a incentivando, dando força, torcendo por ela.

Na vida de uma criança é assim. Na vida dos adolescentes e dos adultos também. Se tivéssemos a capacidade de não punir as pessoas por seus erros, mas apenas incentivá-las a fazer diferente, tentar de novo, e de novo, e de novo... até conseguirem, o resultado seria fantástico. Na minha opinião, a punição gera trauma, obstrui a criatividade.

Toda vez que erramos, sonhamos com a situação inversa. Quando não passamos em um concurso, sonhamos com o cargo desejado. Quando não entramos na faculdade, ficamos nos imaginando dentro daquele curso. Não devemos ser punidos por errar, por ter falhado. Devemos ser incentivados a tentar de novo, mas de uma maneira diferente.

Não gosto de pessoas próximas a mim que sejam inseguras, tímidas, submissas. O erro é tão somente um caminho errado que tomamos. Se voltarmos atrás, teremos a oportunidade de tomar a estrada correta. Incentivo a todos que estão ao meu redor a serem mais criativos, pensantes, ousados, sonhadores.

Esse mês tive a grata surpresa de ver que o tanto que falei na cabeça dos meus “filhos” trouxe resultado. Dias atrás escrevi que estava trabalhando a idéia “faculdade” na cabeça de meus colaboradores. Não foi em vão. Alguns deles passaram no vestibular. Meu coração se encheu de alegria. Aqueles que viram o sonho não se tornar realidade, não foram criticados por mim, pelo contrário, disse a eles que com um pouco mais de empenho o próximo processo seletivo será uma “barbada”.

Esse é o segredo. Não punir pelo erro, pela falha. Sei que muitos deles não estarão aqui amanhã, mas minha missão estará cumprida. Dei a eles uma oportunidade única na vida. Ensinei-lhes que os sonhos devem se tornar realidade e não amigos de nossos travesseiros.

Deus abençoe aqueles que daqui para frente trilharão um caminho diferente.

Um abraço a todos.

Pensamento.

"Deus e o ser humano são dois seres solitários que vivem no teatro da existência procurando ansiosamente um ao outro no pequeno parêntese do tempo..." - Augusto Cury

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Aonde quero chegar...

Todos os nossos fracassos e erros servem para nos mostrar nossas limitações. Mas essas limitações não nos impedem de sermos bem sucedidos na vida. Elas apenas nos mostram que precisamos de algo mais para romper aquele limite e ir adiante.

Acredito que acima de tudo temos que agradecer a Deus pelo simples fato de estarmos vivos. Nenhum de nós é um super-herói invencível, mas apenas seres humanos que quando caem tem a capacidade de levantar.

Muitas das pessoas que convivem comigo me falam a respeito de potencial, de inteligência e outras coisas agradáveis de se ouvir. Todavia eu sempre penso e digo a elas que se eu fosse tão inteligente assim, eu deveria estar em outro lugar. Ser mais bem sucedido, mais realizado. Mas o que é essa realização?

Eu acredito que as maiores realizações que tive na vida foram o privilégio de conhecer a Deus e o nascimento de minha filha. Isso já é motivo de sobra para me sentir agraciado. Não tenho muitas ambições na vida e talvez essa seja a chave para eu não ter buscado coisas “maiores” para mim. Sempre tive vontade de ter uma vida simples numa cidade pequena em que o estresse do dia a dia ficasse bem distante de mim. Infelizmente a realidade não é essa.

O que tenho aprendido nesses últimos tempos é que a disciplina sem sonhos produz servos e os sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas (Augusto Cury). Sem disciplina nossos sonhos não se tornam realidade. Esse talvez seja o meu ponto central. A minha vida inteira fui um sonhador que, por causa do TDAH, não consegui ser disciplinado. Aliás, essa palavra sempre passou longe de mim.

Estou me tratando para transformar meus sonhos em realidade, para chegar aonde quero ir. E é preciso tirar força das derrotas e sabedoria das lágrimas para essa transformação.
Um abraço a todos.

Pensamento.

Quando não matamos nossos monstros psíquicos, nós os projetamos em alguém ao nosso redor. (Freud,1969).

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Adaptação.

Normalmente entramos em crise quando algo acontece de errado. Pode ser uma nota ruim na escola ou faculdade, uma meta não cumprida no trabalho, e não podemos esquecer das crises de choro quando terminamos um relacionamento. Nesse último caso as pessoas costumam se achar o pior dos seres humanos.

As perdas na vida deveriam ser motivo de enriquecimento de nosso ser. Ser derrotado deveria nos fazer forte. Mas infelizmente não é isso que acontece. Na maioria das vezes nos adaptamos ao ambiente tal como um camaleão. Todos os paradigmas existentes em nossa vida são nada mais do que adaptações que fizemos às situações que nos rodeiam.

Outro dia conversando com meu irmão fui severamente admoestado por ele pelo simples fato de detestar o tal do celular. Eu o uso. Na verdade em várias oportunidades é fácil me ver com dois deles. Mas isso não me torna um fã desse aparelho que nos tirou a privacidade. Antigamente, nos finais de semana, certamente as pessoas ficavam menos envolvidas com o trabalho do que agora. Um simples toque de um celular nos leva diretamente ao nosso ambiente de trabalho. Não há mais privacidade ou tempo para descanso para aqueles que se tornaram reféns do celular. Fora os e-mails e outros artifícios que nos tornam prisioneiros. Não me julguem mal. Todas essas “evoluções” têm seu lado positivo, eu apenas estou tentando construir um raciocínio em torno da não adaptação a tudo que nos rodeia...

Voltando ao assunto central, a adaptação ao que nos rodeia, nos torna consumistas de tais coisas. A própria violência foi assimilada por nós. Basta ver o sucesso que o filme “Tropa de Elite” fez. Não é usual vermos tanta violência e nos conformarmos com ela como vi com esse filme. Ainda mais por ele conter um “certo toque de realidade”.

Sempre que nos acostumamos a uma situação perdemos a grande capacidade que temos de reagir. Nos tornamos espectadores sentados na poltrona do cinema de nossas vidas.

O que quero dizer aqui é que não devemos nos acostumar e nem nos adaptar à falta de sucesso, às decepções da vida. Não podemos nos portar como robôs que foram programados para serem fracassados, derrotados.

A cada dia que passa nossa história deve ser transformada. Para tanto posso elencar características que talvez nos ajudem e alcançar nosso objetivo.

1 – Sermos persistentes na busca de nossos sonhos.
2 – Não desanimar diante dos desafios.
3 – Sermos independentes ao trilharmos nosso caminho.
4 – Sermos influentes nos ambientes que convivemos. (Boa influência).
5 – Sermos criativos na propositura de idéias.
6 – Sermos “pensantes” na medida certa. Qualitativamente.


Um abraço a todos.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Poupança

O recorde de depósitos na caderneta de poupança alcançado nos 11 primeiros meses do ano mostra que muitos investidores continuam optando pela segurança e facilidade desse tipo de investimento. E, com a queda nas taxas de juros, cada vez mais a poupança tem se mostrado uma aplicação até mais rentável do que alguns fundos de renda fixa.
Até o começo de dezembro, a poupança acumulava uma rentabilidade de 7,7% no ano, contra cerca de 11% dos fundos de renda fixa e DI, sem considerar a cobrança do Imposto de Renda. É importante lembrar, no entanto, que as aplicações na poupança estão isentas de IR. Além disso, a CPMF paga na aplicação da caderneta é devolvida no caso dos depósitos com mais de 90 dias.

Já os fundos são tributados com uma alíquota que varia de 22,5% a 15% (a alíquota diminui de acordo com o tempo em que o dinheiro permanecer na aplicação). Há também cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) nas aplicações por menos de 30 dias.
Fonte: Sinescontábil

Sem Título...

Ontem, como cheguei mais tarde ao serviço, não houve postagem. Hoje, por puro desânimo, quase deixo o Blog sem uma palavra sequer.

Muitas vezes na vida enfrento a sensação de fracasso. O TDAH “se diz” responsável por isso. A dor de uma derrota é terrível. Levantar a cabeça e seguir em frente é um grande desafio.

Não sei se todos são iguais a mim. Eu imagino que no sentido de gostarem de controlar o próprio mundo, ter respostas para tudo, capacidade de decidir, serem conscientes das decisões tomadas, muitos devem ser. Mas até onde vai essa capacidade. Ela deve ir, pelo menos na teoria, além da derrota.

Sempre que somos derrotados, trazemos na memória muitas das outras circunstâncias semelhantes vividas. Nossa memória faz questão de nos lembrar das várias vezes que fomos derrotados. Nosso ânimo vai embora. A ansiedade toma conta de nossa mente. A mente se angustia e a única saída é a fuga. Eu, particularmente, sou um fugitivo nato. Minha psicóloga cansou de me dizer isso.

Ultimamente tenho me sentido assim. Acredito que é mais uma de minhas crises. Talvez o tanto de decisões importantes que preciso tomar (e tenho adiado) seja responsável por esse caos em minha mente.

Ontem recebi o resultado de uma ressonância magnética que fiz em meu ombro. Há tempos andava com uma dor insuportável que inclusive me impede de jogar tênis – esporte que amo. Pelos resultados, vou permanecer sem jogar por um longo período. Diagnóstico: Suspeita de rompimento de fibras do ligamento. Algum processo degenerativo em alguma parte que não me recordo mais (prefiro esquecer), além de tendinose/tendinite. O caso me parece grave. Vou aguardar o médico para ver o que ele me diz a respeito.

Bem, vou tentar aquietar meus pensamentos. Pensar “demais” enlouquece... já diria nosso amigo Inagaki. Augusto Cury diz que o excesso de pensamentos, sem qualidade, é o carrasco do ser humano. Eu acredito nele. Esse excesso de pensamentos está me deixando fadigado. “Quem pensa muito se atormenta demais”.

A opção agora é encontrar a alegria que deixei em algum lugar “ali atrás”.

Um abraço a todos.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Reflexão.

Às vezes sou criticado pela maneira que conduzo o meu departamento. Tem pessoas que acham que sou “amigo” demais de meus queridos colaboradores. Não sei ao certo se concordo com essa colocação. Talvez o raciocínio é que deva ser diferente.

Acredito piamente que o ser humano necessita de liberdade para poder expressar ao máximo a sua criatividade. Sem liberdade nos tornamos deprimidos e sem sentido na vida. Sermos aprisionado em nosso ambiente de trabalho nos torna bem parecidos com as máquinas com as quais trabalhamos.

A necessidade básica não é de repressão, mas sim de educação, conscientização. Talvez eu possa até ser falho nessa área, pois então que a crítica fique aí. Não quero nunca estabelecer uma ditadura nos diversos ambientes que estou presente. Aliás, pelo contrário. Gostaria apenas se ser exemplo para aqueles que convivem comigo. Não precisa ser exatamente um exemplo em todas as áreas, mas pelo menos exemplo de alguém que se esforça para fazer o melhor.

Todos nós devemos ter liberdade de escolha. Penso que cada um deve trilhar os próprios caminhos, seguir sua consciência. Todavia essas escolhas devem ser bem estudadas para não haver arrependimento adiante. As decisões na vida devem ser tomadas principalmente ao largo das emoções. Elas confundem a mente e nos fazer desviar do curso.

A todos que trabalham e convivem comigo dou o livre arbítrio. Liberdade até mesmo para me trair, abandonar ou até mesmo negar. Tento trazer para mim o exemplo de Cristo que não se preocupava com tais situações. Ele acreditava no ser humano. Quero ser tal como ele, depreendido dessas coisas.
Um abraço a todos.

Provas.

Hoje pela manhã vi um comentário da minha psicóloga no Blog e lembrei que não deixei nenhum comentário sobre a minha prova que fiz no final de semana que se passou. Graças a Deus tirei os pontos necessários para ser aprovado na matéria. Eu passei o semestre inteiro sem me dedicar, mas os 15 dias que passei de férias foram suficientes para que eu fizesse uma boa prova. Agora é encarar mais um semestre de frente. Como bom TDAH tenho que encarar um desafio de cada vez. Não posso ficar imaginando tudo que há pela frente, pois o desânimo tomaria conta de mim. Fico agradecido àqueles que participaram dessa luta e também àqueles que torceram por mim.

Grande abraço.

Ps.: Ana Paula, obrigado por continuar me acompanhando...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Pescador.

Tem uma música do Rappa que se chama “Pescador de ilusões”. Não sou muito de ouvir música, mas o título dessa me trouxe na memória uma história. Ela fala sobre pescadores.

Há muito tempo atrás existiam homens que viviam da pesca. A realidade deles era enfrentar diariamente o mar em busca de peixes para sobrevivência. Os sonhos daqueles homens se resumiam ao mar e aos peixes.

Mas a vida não era suave é nem fácil para eles. As redes eram pesadas e o trabalho árduo. Nenhum deles cogitava a idéia de mudar de profissão, afinal de contas era aquilo que eles sabiam fazer. Mesmo que o mar “não estivesse para peixes”.

A vida não trazia desafios para aqueles jovens. Eles não se incomodavam com os mistérios da vida. Viviam simplesmente pelo fato de viver. Todavia um dia eles tiveram um encontro que mudaria suas vidas. Eles não ficariam mais tão ocupados com a sobrevivência.

Os jovens (dois irmãos) estavam na praia, fazendo seu o ofício do dia e se depararam com uma pessoa caminhando pela areia. Não se importaram com aquele homem, pois o dever falava mais alto. Mas o fato daquele homem parar diante deles e ficar a fitá-los os incomodou. O silêncio foi quebrado por uma frase que mudou a vida daqueles dois jovens.

- “Vinde após mim que eu vos farei pescadores de homens”.

O nome daqueles jovens era Pedro e André. Diante deles estava um homem que não era um vendedor de ilusões, e sim um “vendedor” de sonhos. Dali em diante aqueles jovens não mais trabalhariam para seu sustento, mas sim em prol da humanidade. Eles se disponibilizariam a viver a favor de nós, seres humanos.

O encontro com Jesus Cristo fez daqueles homens, não mais “pescadores de ilusões”, mas sim pescadores de homens. Eles se tornaram pessoas importantes na história da humanidade. Seus sonhos foram transformados. A realidade deles se alterou totalmente.

A partir dali muitos de nós fomos contemplados com o maior de todos os sonhos. O sonho de Jesus para a humanidade.

Um abraço a todos.
Ps.: Recomendo a todos a leitura do livro "Nunca desita de seus sonhos" - Augusto Cury.

Engraçado.

Achei engraçada a minha volta das férias. Como havia mais de 10 anos que não tinha um período maior de descanso, meu corpo sentiu extremamente esse retorno. Agora o que mais senti foi o retorno ao Blog. Até me bateu um desânimo em continuar as minhas postagens. Há pouco tempo atrás, cheguei a ter cerca de 50 acessos diários ao Blog. Ná média posso computar uns 35. Sempre fiquei satisfeito com esse número. Nunca tive ambição de ver milhares de pessoas acessando a minha página, até mesmo pelo fato de não escrever nada de espetacular, nem mesmo ter uma página cheia de coisas interessantes como vejo por aí. Tem gente "expert" no assunto. Tem cada template bacana por aí. Mas esse nunca foi meu objetivo. Ganhar dinheiro blogando menos ainda. Mas confesso que ao ver que, por ter ficado praticamente 15 dias sem escrever nada, minha "audiência" diária caiu para cerca de 10 pessoas, desanimei um pouco. Agora é hora de levantar a cabeça e correr atrás dos meus leitores de volta. Espero poder cativá-los de novo.
Um grande abraço, e obrigado aos meus fiéis leitores.

Pensamento.

A vida inteira precisamos de graça e gentileza (Platão).

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Escrituração Contábil Digital

Foi publicada no Diário Oficial do dia 20 de novembro a Instrução Normativa RFB nº 777/2007, que institui a Escrituração Contábil Digital (ECD), para fins fiscais e previdenciários. O ato regulamenta o Decreto nº 6022, de 22 de janeiro de 2007, que criou o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED).

A ECD deverá ser transmitida, pelas pessoas jurídicas a ela obrigadas, ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED);
Compreenderá a versão digital dos livros: Diário e seus auxiliares, se houver; Razão e seus auxiliares, se houver; Balancetes Diários, Balanços e Fichas de lançamento e comprobatórios dos assentamentos neles transcritos.
As empresas sujeitas a acompanhamento econômico-tributário diferenciado e à tributação do imposto de renda com base no lucro real devem adotar a ECD em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2008. As demais empresas tributadas pelo lucro real terão de utilizar o novo sistema em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2009. Fica facultada a entrega às demais pessoas jurídicas não obrigadas.
A ECD será transmitida anualmente ao SPED até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira a escrituração.

Fique atentos.

Fonte: CRC - Minas Gerais

Transpiração.


Thomas Edison disse certa vez que as conquistas dos seres humanos eram 1% de inspiração e 99% de transpiração.

Nem sempre trazemos nossos sonhos de maneira organizada em nossas vidas. Os sonhos normalmente começam como idéias vagas que vão tomando forma no decorrer de nossas vidas.

Acredito piamente que para transformar nossas vidas não precisamos ser nenhum gênio ou grande intelectual. Para mim basta que tenhamos a coragem de sermos criativos, sonhadores e disciplinados. Muito trabalho e determinação são essenciais para que sejamos bem sucedidos.

Se você quer excelência nos estudos, no trabalho, nos esportes, no amor, é necessário que haja criatividade, suor e lágrimas. Todos nós precisamos ter a coragem de empreender em todas as áreas de nossas vidas.

Se você quer ser um gênio procure ser um bom acadêmico, mas também um vencedor de desafios. Os desafios que surgem no decorrer da vida são os grandes responsáveis pelas frustrações e desistências. As pessoas acabam não suportando as pressões e abdicam de seus sonhos. Consideram os obstáculos maiores do que sua perseverança. Para correr riscos é preciso coragem.

Alguns pensadores já disseram no decorrer do tempo que a paciência tem mais valor do que a força. Kant afirmou que “a paciência é amarga, mas seus frutos são doces”. Nunca deixem de sonhar. Mas uma coisa importante que li outro dia foi que os sonhos que são indestrutíveis são aqueles sonhados para os outros e não apenas para nós mesmos.

Um grande abraço.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Sonhos.

Quando estamos dormindo, costumamos sonhar. Esses sonhos são parte fundamental da formação de nossa inteligência. Não sou nenhum especialista no assunto, mas já li a respeito que, durante o sono, fenômenos acontecem de modo que nosso cérebro produz idéias, imagens, personagens, fantasias. Segundo Augusto Cury, nos sonhos somos extremamente criativos, produzindo formas, cores e sabores às experiências vividas.

Mas o que quero falar são dos sonhos que temos enquanto estamos acordados. Sonhos que surgem durante nossa vida cotidiana, durante o nosso dia a dia. Sonhos que transformam nossas vidas.

Todos nós temos a capacidade de mudar nossa vida através de algum projeto com o qual tenhamos sonhado. São esses sonhos que transformam nossa realidade, que trazem realização à nossa inteligência.

Cada um de nós vive suas próprias experiências. Algumas são frustradas, pois nos sonhos também existem tempestades. Outro dia um grande amigo meu passou por uma dessas tempestades. Em um de seus sonhos colocados em prática ele passou por grandes turbulências. As coisas não deram tão certo como ele imaginava. Mas o mais importante que vi nele foi a perseverança de não desistir de sonhar. Por maior que possa ter sido o tombo que ele levou, a vida o ensinou a levantar, sacudir a poeira e tocar a vida, sonhar novamente.

Tem um conto que diz que uma criança perguntou a um sábio qual tamanho tinha o universo. A resposta foi: “O universo tem o tamanho do seu mundo”. Perturbada a criança continuou a indagá-lo: “Que tamanha tem esse mundo?” A resposta foi profunda: “Ele tem o tamanho dos seus sonhos!”.

Portanto meus amigos, não desistam dos seus sonhos. Por maiores que sejam, levem-nos adiante, invistam neles.

Um abraço a todos.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Reflexão

Nas minhas férias li alguma coisa. Não cheguei a ler nenhum livro por completo, pois tirei férias até mesmo da leitura. Um trecho de um livro me chamou a atenção. Vou reproduzi-lo aqui com minhas palavras...


Por muitos anos um mendigo fica sentado, no mesmo lugar. Certo dia, ao pedir uma esmola, uma conversa mudou sua vida:

- Tem um trocado para mim moço? – murmurou o mendigo.
- Não, não tenho – retrucou o estranho. E você, o que tem dentro desse baú debaixo de você?
- Não tenho nada, é apenas uma caixa velha. Nem sei ao certo o que tem dentro, pois estou sentado a vários anos em cima dela e já me esqueci.
- Não gostaria de olhar o que tem dentro? Perguntou o estranho.
- Não – respondeu. Não tem nada nela mesmo!
- Dê uma olhada nela, por favor? Insistiu o estranho.

O mendigo resolveu abrir a caixa e percebeu, para seu espanto, que ela estava cheia de ouro.

O escritor era o estranho nos mandando olhar para dentro de nós mesmos. Mesmo que pensemos não sermos mendigos, mas acredito que aqueles que não encontraram a verdadeira riqueza do próprio ser, é um mendigo em busca apenas de bens materiais.

Buscam do lado de fora, migalhas de prazer, aprovação, segurança, amor, embora tenham guardado dentro de si próprios um enorme tesouro.

Cada um sabe de si, tem suas convicções, paixões e crenças. Eu tenho as minhas, e acredito que essa busca nos leva ao encontro de Deus.


Um abraço a todos.
Estava me esquecendo dos créditos. O conto acima li num livro de Eckhart Tolle.

Retorno.

Bem, aqui estou eu de volta das minhas férias. Gostaria que elas tivessem sido mais extensas. Certamente vou ficar com muita saudade da minha pequena Isabella. Foram dias de bastante convivência, brincadeiras e alegria. De agora em diante quero poder tirar minhas férias regularmente, pois percebi o quanto estava perdendo ao abrir mão desse precioso tempo.

Tempo para refletir, planejar, divertir, sonhar, fazer nada, acordar tarde, dormir tarde, não ter compromissos, sei lá. Dá para fazer ou não fazer muitas coisas quando estamos de férias. Pena que eu tinha uma prova no dia 01/12. Espero que eu tenha me saído bem.
Em relação ao Blog resolvi que também tiraria férias dele. Achei que seria um tempo bom para escrever mais, fazer novos amigos e estreitar os laços de amizades que já fiz, mas percebi que precisava tirar férias dele também. Não estava gostando de ter pressão por escrever e escrever e escrever. Agora acho que voltarei mais "ligth". (Assim espero).
Vou responder alguns comentário de meus amigos, escrever alguma coisa e tomar um café. Depois vou começar com a rotina do escritório, que nos últimos dias ficou meio estranha na minha ausência. Estou certo que terei um monte de "pepinos" e "abacaxis" para descascar. Entretanto eu não fico de todo triste por causa disso. Sei que gostaria que meus "filhos" tivessem se comportado melhor enquanto eu estava fora, mas percebi que minha ausência foi sentida.
Um abraço a todos.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Férias

Bem, a partir de hoje estou oficialmente de férias do trabalho. Na PUC ainda vou ter que fazer uma prova no dia 01 de dezembro. Mas não tem problema. Sendo assim permanecerei escrevendo aqui no Blog, todavia não será mais às 07 da manhã. Me darei o luxo de de escrever um pouco mais tarde. Mas continuarei escrevendo. Quero ver se aproveito e dou atenção para meus amigos da Blogsfera.

Um abraço.

O Bem e o Mal.

Outro dia li em um livro um trecho que falava de uma antiga história zen-budista. Achei interessante a comparação feita na história. Sendo assim resolvi reproduzi-la.
Um Samurai turbulento e arrogante desafiou um mestre zen a explicar a diferença entre o bem e o mal. O mestre respondeu, com evidente repulsa:
- Não perderei meu tempo com uma escória como você.
O samurai teve um acesso de raiva, desembainhou sua enorme espada e gritou:
- Cortarei sua cabeça pelo insulto!
Calmamente o mestre zen declarou:
- Isso é o mal.
O samurai acalmou-se, compreendendo a sabedoria do que dissera o mestre.
- Obrigado por sua percepção, meu bom mestre - murmurou o samurai, em sinal de humildade.
Ao que o mestre zen arrematou:
- Isso é o bem.
Gostei da comparação e achei interessante a percepção.
Um abraço a todos.

O melhor da história...


"David Ferrer parecia viver um sonho ao chegar à final da Masters Cup. Nas entrevistas que concedeu após a vitória sobre Andy Roddick nas semifinais, o espanhol já dava mostras de que não daria para ele contra Roger Federer na decisão. Massacrado pelo suíço neste domingo por 6/2, 6/3 e 6/2, Ferrer continuou com o discurso humilde. Reconheceu que entrou em quadra nervoso e elegeu Federer como melhor tenista da história."
"Talvez eu tenha jogado um pouco nervoso sim. Mas ele faz de tudo em quadra, não? Saca, voleia, dispara slices", afirmou o vice-campeão. É muito complicado (jogar contra ele). O meu tipo de jogo não encaixa com o dele. Para mim, Federer é o melhor da história", sacramentou. O espanhol perdeu os oito jogos que disputou contra o número 1. "

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Prova.

Amanhã, 17 de novembro, terei prova na PUC/MG. Serão as últimas provas do semestre. A partir dali estarei de férias. A notícia ruim é que provavelmente ficarei devendo uma matéria. Verdade. Dificilmente passarei em Matemática Financeira.

Você deve estar pensando em como eu, que sou ótimo em matemática, posso ficar nessa matéria. Fácil a resposta. Basta não estudar, não fazer os trabalhos, não se dedicar. Alguém pode ser bom em matemática, mas se tem uma matéria nova e ele não estuda, dificilmente essa facilidade vai se transformar em uma boa nota.

É incrível como não consigo reagir diante de determinadas situações. É gritante o desespero que me acomete por não ter forças para reagir diante de um problema como esse. Maldito TDAH.

Meu martírio começou quando não me dediquei a fazer a primeira atividade. Depois veio a primeira prova e fui super mal nela. Coisas bobas como utilizar o número certo de casas decimais, que o professor pediu, me fizeram naufragar na matéria.

O que posso levar comigo de lição acerca desse semestre é que não devo deixar as minhas coisas para serem feitas em cima da hora e com desleixo. O difícil é convencer meu cérebro que as coisas funcionam assim. Gostaria de fazer igual um avestruz e enterrar minha cabeça na terra e não tirá-la de lá mais.

Quem me conhece sabe a frustração que está sendo esse momento para mim. Não gosto de tirar nota ruim em nenhuma matéria. Na verdade gosto de passar em todas as matérias antes mesmo de chegar a última prova. Mas não vai ser dessa vez.

Se um ânimo do tamanho do Brasil não tomar conta de mim de forma que eu busque tirar nota máxima na prova de amanhã, semestre que vem estarei fazendo matemática financeira novamente. Confesso que curso virtual tem desses problemas. Você precisa ser um tanto quanto autodidata. Não tem muito a quem recorrer. Mas quem disse que eu não sou acostumado com essas situações. Sempre me achei sozinho mesmo.

Espero mais para frente escrever rindo dessa situação. Falando que tudo deu certo. Vamos ver no que dá.

Um abraço a todos.

Eleições CRCMG

Participem da votação para as eleições de renovação de 1/3 do plenário do CRCMG. O período de votação se encerra no próximo dia 22.
O procedimento de votação é simples. No site – www.crcmg.org.br - o contabilista irá visualizar o nome de todos os integrantes da chapa 1 (única) e as opções “votar”, “branco” e “nulo”. Após concluir o procedimento, é preciso imprimir o comprovante de votação.
O voto é obrigatório para todos os contabilistas com registros ativos no CRCMG, sendo que é facultativo para os maiores de 70 anos. Os que não puderem votar podem se justificar também pelo site do CRCMG, até o dia 22 de dezembro.
Vale ressaltar que os profissionais que não votarem e não se justificarem incorrerão em multas e penalidades previstas na Resolução CRC nº 975/03. Por isso é importante que os profissionais procurem o CRCMG para regularizarem débitos e pendências. Informações sobre sua situação, assim como para renegociar débitos podem ser solicitadas através do e-mail: cobrança@crcmg.org.br.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Controle.

Já dizia uma propaganda: “velocidade sem controle não é nada”.

Como desejo ter controle sobre meus impulsos. O portador de TDAH é conhecido por ser uma pessoa impulsiva. Impulso que deixa os desejos e caprichos sem controle. Dessa maneira não consigo reagir da maneira correta em determinadas situações.

Nossa reação deveria sempre ser controlada de maneira a ser permeada pela ética e pelos princípios morais. Mas muitas vezes nos falta paciência para sermos consistentes em nossas atitudes. Dessa maneira, não sei vocês, mas eu me torno uma pessoa de difícil convivência, inacessível, absorto em meus pensamentos, avesso às críticas, inseguro.

Gostaria de ser apaixonado por tudo o que faço. Infelizmente a única paixão que tenho tido nos últimos tempos é pela minha filha. Todavia almejo essa mesma paixão para tudo em minha vida.

Um abraço a todos.


Foto retirada do site: http://www.fotosearch.com.br/

Pensamento.

Sábio não é aquele que está convicto acerca do quanto ele sabe, mas sim do quanto ele não sabe.

Foto retirada do site: http://www.fotosearch.com.br/

Indicação.

Faz tempo que não faço nenhuma indicação aqui no Blog. Não é por falta de pessoas para serem citadas, o fato é simplesmente a falta de tempo. Ou quem sabe a desculpa seja a falta de tempo... Mas nem por isso vou deixar de falar aqui do Blog criado pelo meu amigo Leony. Apesar dele ser atleticano vou abrir esse precedente para ele (risos - já faz tempo que não curto futebol). Gostaria então de deixar aqui esse convite para que vocês acessem o Blog dele e vejam o trabalho dele.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Desculpas

Estou tendo extrema dificuldade de manter o Blog atualizado nos últimos dias. Infelizmente não estou conseguindo nem mesmo dar uma passeada pelo Blog dos amigos que fiz aqui na Blogsfera. Isso está me chateando muito. Estou para tirar férias e isso está me deixando um tanto quanto atribulado, na busca de não deixar nada pendente no período em que estiver fora. Agora vale a menção: Vou tirar férias!!! Isso mesmo. Desde a época de escola que não sei o que são férias. A única coisa que tenho a convicção é que vou aproveitar bastante ao lado da minha filhota.

Bem, vai aqui minhas mais sinceras desculpas a todos pela falta que estou comentendo. Prometo melhorar.

Um abraço a todos.

Vontade

O que quer dizer vontade? Alguns responderão que é a capacidade de escolha que alguém possui. Mas o que significa essa capacidade de escolha? Provavelmente podemos definir como sendo a aptidão de traçarmos através do nosso pensamento nossos próprios caminhos.

A questão principal é o que passa por esse centro da vontade. Certamente todos nós já tivemos vontades altruístas, estúpidas, boas, fúteis, etc... Quando conseguimos os meios para materializar essa vontade é que nos realizamos, qualquer que seja o campo.

O importante é sabermos diferenciar as vontades que são construtivas daquelas que são destrutivas. Deveríamos ter vontades altruístas e, além disso, possuir a capacidade, o poder de colocarmos essas vontades em prática. Se assim fosse, teríamos provavelmente uma sociedade mais justa, igualitária.

Infelizmente o grande problema que enfrentamos é que a nossa vontade se contrapõe em muitos aspectos ao nosso instinto. Contrapomos nossa inteligência (vontade) com nossa carga genética (instinto). Nosso intelecto enfrenta nossa natureza animal.

Devemos ter a consciência que o intelecto precisa prevalecer sobre o instinto. Dessa maneira não cometeremos as mais diversas perversidades (guerras, vinganças, discriminações, assassinatos, etc...) e nos concentraríamos em coisas boas (solidariedade, amor, compaixão, benignidade, etc...).

“Quem vive para si e sempre coloca suas necessidades em primeiro lugar é instintivo, tem o lado animal dominante, ainda que possua status de intelectual e títulos acadêmicos”. – Augusto Cury.

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Lc. 23:34).
Um abraço a todos.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Conversão de parte das férias em dinheiro é opção do empregado

Temos que ter em mente que o objetivo das férias é o descanso e a preservação da saúde do trabalhador. A conversão de 1/3 do período de férias (normalmente 10 dias) em dinheiro só pode ser feita por opção do empregado, não podendo ser imposta pelo empregador. É o que determina o artigo 143 da CLT, aplicado pela 7ª Turma do TRT-MG em julgamento recente de recurso ordinário, com base no voto da juíza convocada Wilméia da Costa Benevides.
Processo a reclamante alegou que durante todo o seu contrato de trabalho foi impedida de gozar férias de 30 dias, sendo obrigada a converter 10 dias em abono em dinheiro, pois isso era uma pré-determinação constante em um formulário já preenchido pela reclamada.
"Como a autora foi obrigada a trabalhar quando deveria estar usufruindo férias, tem-se que não houve a concessão no período concessivo e, portanto, faz jus ao restante (10 dias) em dobro" - concluiu a relatora, em seu despacho, entendendo que o salário recebido pelos 10 dias trabalhados foi pago como contra prestação pelo serviço prestado.
Assim sendo, a Turma confirmou a sentença condenando a reclamada a pagar à autora 10 dias de férias anuais, em dobro, referentes aos períodos aquisitivos. (R.O. número 00255-2007-140-03-00-8)

Me mostre!

É Impressionante o número de vezes na vida que temos o seguinte pensamento: “faça o que eu falo e não o que eu faço”.

Ainda outro dia lendo um livro, uma parte me chamou a atenção. O autor citava Francisco de Assis um de seus pedidos aos seguidores da fé cristã. A mensagem era a seguinte: “preguem o Evangelho em todas as ocasiões, mas só usem as palavras quando necessário”. Essa passagem me marcou profundamente. Será que somos assim? Será que nossos atos falam por nós exatamente o que nossa boca diz?

Não são poucas as vezes que nos deparamos com pessoas com um discurso nada convincente. Conheço pessoas, e não vale a pena citar nomes, que passam noitadas na rua, não gastam nenhum tempo brincando com os filhos, mas não se cansam de dizer que amam a família.

Quem já não ouviu dizer que o que importa no tempo é a sua qualidade e não a sua quantidade. Não importa se tivéssemos 48 horas em um dia se não soubéssemos aproveitar esse tempo. Eu particularmente, até mesmo por causa do TDAH, sofro desse problema. Às vezes me deparo com várias coisas para serem feitas e acabo não fazendo nenhuma delas. Na escolha de qual seria prioritária acabo me perdendo em meus pensamentos. Isso é mau.

Todos nós devemos impressionar ao próximo não pelas nossas palavras, mas pelas nossas atitudes. James C. Hunt cita em seu livro “Como se tornar um líder servidor”, o que Ralph Waldo Emerson resumiu de forma brilhante:

“O que você é grita tão alto em meus ouvidos que não posso ouvir o que você está dizendo”.

Pensem nisso. Um abraço a todos.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

A BIBLIA E O CELULAR

Recebi essa comparação por e-mail e resolvi posta-la. Sei que pode parecer meio boba, mas acho que vale a pena ler. O e-mail que recebi estava sem o autor da comparação, todavia ele merece o crédito.

Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?
E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?
E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?
E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no escritório... ?
E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?
E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?
E se a déssemos de presente às crianças?
E se a usássemos quando viajamos?
E se lançássemos mão dela em caso de emergência?
Mais uma coisa:Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal.
Ela 'pega' em qualquer lugar.
Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim.
E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida.

Pensem nisso.

Evento

Fonte: CRCMG

EVENTOS

Fórum da Mulher Contabilista - Uberlândia

No próximo dia 19 de novembro acontece, em Uberlândia, o Fórum da Mulher Contabilista. O evento será realizado no auditório da Fiemg (Av. Rondon Pacheco, 2100), das 19 às 22 horas. Informações e inscrições no Escritório Regional de Uberlândia, pelo telefone: (34) 3229-5155 ou e-mail: crcmgub@uai.com.br.

Confira a programação e garanta a sua participação!

Programação

19h30 - Abertura: Presidente do CRCMG
Contador Paulo Cezar Consentino dos Santos

19h45 – Palestra: A mulher Contabilista
Contadora Jacquelline Aparecida Batista de Andrade - Conselheira do CRCMG

21h00 - Apresentação da nova Carteira do Contabilista
Contador Paulo Cezar Consentino dos Santos – presidente do CRCMG

21h15 - Palestra: Marketing Pessoal e Sucesso Profissional
Joyldson Gouvêa - Psicólogo e Consultor de Gestão de Pessoas.

Restituição do Imposto de Renda

As consultas ao sexto lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2007, deverão ser abertas pela Receita Federal até a próxima sexta-feira (9), informou o supervisor nacional do Imposto de Renda da Receita, Joaquim Adir. Segundo ele os recursos estarão disponíveis para saques no dia 16 de novembro.

As consultas ao sexto lote do Imposto de Renda poderão ser feitas pela internet no site www.receita.fazenda.gov.br, ou pelo telefone 0300-789-0300. Os valores das restituições do sexto lote do Imposto de Renda serão corrigidos em 6,63%.

Este é o penúltimo lote de restituições do Imposto de Renda neste ano. O último lote está previsto para ser pago em 17 de dezembro. Quem não estiver nestes dois últimos lotes, automaticamente estará na chamada malha fina da Receita Federal.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Grata surpresa.

Nesse final de semana tive a grata surpresa de ver minha filha pela primeira vez falar: Papai. É claro que não é aquele “papai” com “todas as letras”, mas sei que ela se referia a mim.

Muito gostosa a sensação. É de deixar lágrimas nos olhos ver aquele pequeno ser te olhando nos olhos e te chamando de pai. Cada vez que eu soletrava a palavra, lá vinha ela repetindo: pa... pa..., pa...pai, pa... Muito fofa a minha princesa. Queria ter gravado um vídeo dela falando. Quem sabe durante a semana não consigo.

O mais engraçado foi ver que ela agora não quer saber de falar nem mamãe, nem vovó, nem vovô. Quando alguém fala pra ela: mamãe, ela logo responde: papai. Se alguém fala vovó, ela diz: papai. Minha baixinha sabe das coisas, certo?(risos).

Talvez ela já entenda o tamanho do amor que sinto por ela. Digo a quem quiser ouvir que não tenho nada de mais precioso em minha vida do que a Isabella. Engraçado é que antes eu queria um filho e hoje não me vejo sem ela. Presente de Deus para mim.

Espero poder ser bom o suficiente para educá-la e supri-la em todas as suas necessidades. Que Deus possa me dar forças para ser um ótimo pai para ela.

Um abraço a todos.

Regulamentação de estágios poderá reduzir oferta de vagas.

Projetos de Lei tramitam no Senado com a intenção de regulamentar o estágio de estudantes de educação superior e de ensino médio. O que mais se destaca no projeto é a intenção de se restringir a jornada de trabalho em 6 horas diárias, além da duração máxima de dois anos de contrato, bem como a restrição do número de estagiários a 20% do quadro de empregados da empresa que possui acima de 10 funcionários.

Por um lado o Estado diz que a nova regulamentação contribuirá para o aprimoramento da educação e formação dos jovens e coibir o abuso das empresas na contratação de estagiários como mão-de-obra barata. Por outro lado cresce a polêmica em torno dos reflexos negativos da ingerência do Estado em assuntos que estão a cargo das instituições de ensino.

Atualmente, é a escola quem decide sobre questões como duração do estágio e também a jornada diária. As escolas exercem, ou deveriam exercer, um papel fundamental na moralização do estágio e utilizar a sua competência para exigir, por exemplo, carga horária inferior a oito horas se essa for a sua condição como proposta educacional.
Temos que analisar com cautela essa ingerência do estado, pois o risco que se corre é o do desestímulo a oferta de vagas no mercado de trabalho, especialmente nos escritórios de advocacia que normalmente se utilizam, e muito, dos estagiários. Imagino que o ingresso do estudante no mercado de trabalho ficará bem mais difícil. Após o estágio, aquele que tiver competência que se estabeleça.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Lição de Vida.

Ontem conversando com minha amiga Luciana (que trabalha aqui no Supermercado), percebi que muitas vezes não enxergamos nossos problemas de uma maneira mais ampla. Digo isso, pois às vezes cada parte do problema tem repercussão em outra área de nossas vidas. Explico.

Relacionamento: Toda vez que estamos com um problema de relacionamento, procuramos a saída mais fácil para ele. Todavia nos esquecemos das conseqüências dessa solução adotada. É como se você tivesse um vazamento de água no seu prédio e a solução encontrada fosse fechar o registro de água do edifício. Certamente o vazamento estaria contido. Todavia em poucas horas os vizinhos começariam a reclamar da falta de água em seus apartamentos. Claro, o recurso encontrado não previa esse contra-tempo! Ele era simples e objetivo, porém “burro”.

Nossa conversa me fez refletir. Pensar em todas as nuances dos meus problemas. Talvez meus problemas não sejam mais resolvidos de uma hora para outra, mas provavelmente a solução abrangerá uma gama maior de possibilidades de erro. Não quero ser perfeito, apenas tomar as decisões mais acertadas para minha vida.

Durante a conversa, Luciana me contou uma história que tem lá suas várias versões. Mas isso pouco importa. O conteúdo é mais relevante. Vou reproduzi-la aqui:


Havia um pai que, com muita luta, trabalhava com seu velho caminhão. Aquele veículo era o meio de sobrevivência de sua família. O caminhão vivia com defeito e aquele homem sempre era visto mexendo no motor, dando umas marteladas aqui, outras ali. Seu pequeno filho, de apenas quatro anos, sempre ficava a lhe observar. O pai era motivo de admiração para aquela criança.

Depois de muito tempo de luta, o pai conseguiu comprar um caminhão novinho em folha. Ele estava orgulhoso de sua mais nova aquisição. O próprio sustento da família estaria melhor garantido a partir daquele veículo.

O que aquele homem não podia esperar era que seu pequeno filho, agora com seis anos, ao ver que o pai não mais passava horas arrumando o caminhão resolveria “ajudá-lo”. Sem pensar duas vezes, aquele garoto pegou o martelo na garagem e passou a dar várias marteladas na lataria do veículo novinho. O pai, ao ver o que o filho fazia, e ao ver seu caminhão estragado, pegou o martelo das mãos do filho e agrediu a criança com uma martelada nas mãos. Os dedos frágeis daquele menino foram destruídos pela violência da pancada.

Desesperado ao ver o que tinha feito, o pai pegou a criança em seus braços e correu para o hospital. Após horas na espera de uma posição da equipe médica acerca do estado de saúde de seu filho, aquele pai teve a triste constatação. Como a lesão fora muito grave, alguns dos dedos de seu pequeno tiveram que ser amputados. Que tristeza no coração do pai, mas ele queria apenas ver o filho.

Quando o filho acordou da cirurgia, o pai, com os olhos cheios de lágrimas, pediu desculpas a ele pelo ocorrido. A criança disse que ela é que precisava se desculpar por ter estragado o caminhão do pai. O homem disse ao filho que não se preocupasse, pois o caminhão tinha conserto, que com o tempo ele arrumaria o estrago. O filho ficou feliz com a notícia e rapidamente, por semelhança de raciocínio, perguntou ao pai: e meus dedinhos papai, com o tempo eles também terão conserto?

Não preciso dizer mais nada. Para mim ficou a lição de que as decisões que tomamos na vida têm suas conseqüências e que devemos pensar várias vezes antes de tomá-las.

Um abraço a todos.

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa.

Desde a entrada em vigor do Simples Nacional muitas empresas se depararam com um grande problema. Anteriormente, principalmente se considerada a esfera estadual, as micro e pequenas empresas possuíam diversos benefícios fiscais. Com o Supersimples, esses benefícios deixaram de existir, simplesmente pela falta de regulamentação para os mesmos ou até, quem sabe, pela falta de vontade dos Estados de buscarem alternativas para os pequenos empresários. Um dos problemas já encontrados em alguns estados é o chamado “diferencial de alíquota”. Sempre que uma empresa comercializa produtos vindos de outra unidade da federação, o estado cobra a diferença da alíquota externa para a interna. Mas a empresa no Simples Nacional não deveria pagar apenas um imposto? Está aí o problema! Isso faz com que muitas empresas continuem optando pela informalidade. Mas o cerco do governo aperta cada vez mais. Isso sem se falar nos problemas encontrados pelas pequenas empresas no que diz respeito à questão das licitações. A Lei Geral da Micro e Pequena empresa prevê que seja dada preferência para as pequenas empresas nas licitações abaixo de 80 mil reais. Mas isso está longe de acontecer. Os governos estão se esquivando de colocar em prática essa parte da legislação, vez que sempre foi dada a preferência às grandes empresas. Os interesses dos grandes grupos continuam prevalecendo no nosso país, a custa do dinheiro público e de muita corrupção.

Vamos ver aonde vai parar esse trem!

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Manhã atribulada

Hoje pela manhã encontrei o escritório de pernas pro ar. Eu havia esquecido que o pessoal da manutenção iria trocar toda a parte elétrica da minha sala. A rede já não estava suportando a carga. Sendo assim, imaginem a bagunça. Todas as mesas fora do lugar. Equipamentos desligados, chão todo sujo. Literalmente uma zorra. Mas está bom. Pelo menos não teremos mais problemas da chave cair no meio do expediente porque há sobrecarga na rede. Principalmente por causa do ar condicionado... O calor está insuportável.
No mais é isso. Vou postando devagar... Por enquanto apenas o notebook está funcionando. O CPU não sei nem aonde vou ligar...(risos).
Um abraço.

Quase Sem Querer - Legião Urbana

Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Estou tão tranqüilo
E tão contente...

Quantas chances desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar prá todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada prá ninguém...

Me fiz em mil pedaços
Prá você juntar
E queria sempre achar
Explicação pr'o que eu sentia
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir prá si mesmo
É sempre a pior mentira...

Mas não sou mais
Tão criança, oh! oh!
A ponto de saber tudo...

Já não me preocupo
Se eu não sei por quê
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê......

Estou me sentindo um tanto quanto assim!!!

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Uma Planilha Útil.

Para aqueles que precisam colocar as Receitas e Despesas da Casa em ordem, estou deixando aqui um modelo de planilha a ser utilizado. Espero que seja útil.






A quem você segue? Parte II

Dentro dos relacionamentos, sempre prezei duas características fundamentais aos indivíduos: Honestidade e Integridade. Normalmente aonde não existe confiança, não existe cumplicidade. Sua relação não passa de um castelo de cartas.

No departamento que trabalho sempre procuro não enganar ninguém. Trabalho com seriedade buscando conquistar a confiança dos meus colaboradores. As relações que mantenho no ambiente de trabalho são inspiradas na confiança. Se não confio, a pessoa dificilmente continuará trabalhando comigo. Se elas não confiam em mim, provavelmente pedirei para sair de onde estou.

Para que possa exemplificar alguns dos comportamentos que acho ideais para o ambiente de trabalho, vou citar certas atitudes que não adoto aqui na Contabilidade. A primeira seria o controle total através do relógio de ponto. Eu sempre peço a colaboração de todos quanto ao horário de trabalho, mas dificilmente brigo por causa disso. Nunca faço reuniões para tratar de assuntos internos sem a participação de todos, ou pelo menos de um grupo de influência. Procuro ser sincero com todos. As regras que imponho no trabalho são simples. Dêem conta do serviço. O resto é conseqüência. Todas as portas estão abertas, minha mesa fica de frente para todos e dou amplo e total acesso a minha pessoa.

Para mim aqui é a extensão da minha casa. Trato a todos como se fossem meus “filhos”. Até mesmo quando preciso demitir alguém, procuro ser sincero com todos acerca dos motivos que me levaram a tomar aquela atitude.

Mantenho as funções um tanto quanto bem delimitadas. Cada um sabe de sua obrigação. Quando surgem as dúvidas, todos são incentivados a me procurarem para tratar do assunto.

No tocante à postagem de ontem, me sinto sempre na obrigação de ajudar as pessoas que estão ao meu redor a serem o melhor que elas puderem. Sendo no aperfeiçoamento de suas funções, seja na procura de um curso superior ou apenas na boa convivência com os demais.
Lealdade no local de trabalho é fundamental para o sentimento de família.

É quase impossível evitarmos as panelinhas na empresa, mas procuro demonstrar a todos o quanto isso é nocivo às relações no trabalho. Todavia nem sempre sou ouvido.

Mais para frente continuo falando sobre o assunto.

Um abraço a todos.

Simples Federal

Acabou ontem, 31 de outubro, o prazo para as empresas inscritas no Simples Federal regularizarem suas pendências com a Receita Federal. Acontece que os transtornos causados pela falta de atendimento ágil bem como a falta de informações ocasionaram um quadro de caos nas Receitas Federais pelo país afora. Alguns Sindicatos de Contabilidade entraram com pedido de prorrogação do prazo para regularização das pendências. Agora resta esperar para saber se o pedido será aceito. É uma vergonha a maneira como os órgãos do governo estão tratando as empresas que se prestaram a enquadrar nessa nova modalidade de tributação da pessoa jurídica. Uma vez implantado o sistema, o governo deveria dar amplo suporte e acesso às empresas interessadas no sistema. Sendo assim, vamos ver se inúmeras empresas não serão excluídas do novo sistema da Receita Federal.

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Incentivo.

A Revista Gôndola desse mês trouxe uma reportagem com o título: “Conhecimento e Sucesso”. Essa matéria veio de encontro a várias postagens que tenho feito aqui no Blog e mais ainda, aos incentivos que faço às pessoas que trabalham comigo aqui na Contabilidade do Supermercados BH.

A reportagem traz a história de pessoas que transformaram suas vidas e carreiras através do conhecimento. São pessoas que a partir da vontade de crescer dentro da empresa, se dedicaram aos estudos e hoje colhem os frutos desse empenho. A área de Supermercado é bastante ampla. Contabilidade, que é o meu caso, também. Não é nenhuma novidade falar que qualificação amplia a produtividade que por conseqüência aumenta os índices positivos da empresa.

Digo a todos que quem não quiser se qualificar vai acabar ficando para trás. Vai ficar de fora das oportunidades e pode ainda correr o risco de perder a posição que ocupa atualmente. É uma evolução natural e todos precisam ter essa visão.

A matéria veio como que um incentivo aos meus colaboradores. Muitos deles tomaram a decisão de prestar um vestibular ao final do ano. Fiquei feliz de vê-los mudando de postura. Espero que os frutos que serão colhidos no amanhã sejam de excelente qualidade. Basta esperar para ver.

Um abraço a todos.

Prêmio.

Ontem ao visitar o site da minha amiga Luciana, me deparei com esse prêmio:

"Elo da Corrente da Amizade", "Anel da Amizade"


Confesso a todos que fiquei surpreso com a indicação. Minha psicóloga que o diga, certo Dra. Ana Paula? A verdade é que não sou extrovertido o suficiente para fazer amizades com facilidade. Acontece que a Blogsfera foi o espaço ideal que precisava para estreitar laços de amizade. Hoje já conheço muitas pessoas, e algumas delas considero como amigos. Vale aqui a menção à Luciana Catanhede, à Cristina (Baby) e também ao Raphael Reiner. Esses são aqueles que mantenho maior contato. Atualmente também tenho mantido contato como a Luma. Espero que possa surgir também uma amizade desse relacionamento.

No caso do prêmio que recebi, vou retribuir na forma de uma postagem.

A Luciana mantém um Blog que contém poemas e textos que considero muito bons. Ela inclusive já recebeu um outro prêmio relacionando o Blog dela com aqueles que escrevem com amor. Realmente dá vontade de passar por lá sempre e dar uma olhadinha na postagem do dia. Sempre dá pra encontrar algo para animar o dia ou para nos fazer refletir. Vou fazer uma exceção à postagem que ela fez sobre “os tipos de gatos”. Essa eu pulo.

Sempre gostei de escrever. Desde novo tenho esse hábito. Às vezes o TDAH me impedia de levar adiante essa vontade. Mas agora com o tratamento, tudo tem sido mais fácil. Principalmente colocar para fora aquilo que trago na memória. Achei legal algumas pessoas estarem se interessando pelos livros do Augusto Cury. Não sei se como eu elas vão se apaixonar pelo estilo dele. Mas tenho certeza que todos vão sentir o impacto das verdades que ele escreve.

Quanto às amizades que tenho feito, espero que elas sejam duradouras e que dêem seus frutos. Cada semente tem que morrer para que possa frutificar, pois se não morrer, fica sozinha.

Um abraço a todos.





terça-feira, 30 de outubro de 2007

A quem você segue?

Antigamente, sentia orgulho de ser parente do meu irmão. Afinal de contas ele é muito bem sucedido. Além do sucesso profissional ainda tem a questão de sempre andar bem vestido, com carros das melhores marcas e por ai em diante.

Todavia me engano em achar que sigo o melhor exemplo. Houve alguém que veio ao mundo como homem, mas era um Rei. E como Rei, deveria ter sido cercado de luxo, louros e esplendor.

Mas ele não veio aqui para buscar esse tipo de glória. Ele não queria tomar o trono político dos homens. Quando quis se dirigir a Jerusalém, onde seria recebido como um Rei deve ser, Jesus optou por se encaminhar para a cidade montado em um simples jumento. Não havia nele trajes grandiosos, nem ouro, prata ou pedras preciosas. Pelo menos aos olhos humanos. Seus discípulos, talvez se sentissem envergonhados por entrar na cidade ao lado daquele que era o Rei dos Reis, mas não se “apresentava” como tal. Ele não tinha vestes reais.

A verdade é que Deus não busca um trono político nessa terra. Ele busca um trono no coração dos homens. Jesus não se interessava no tipo de poder que nos corrompe. Ele já era todo poderoso, porém não se preocupava em mostrar esse poder.

Jesus sempre buscou ser o provedor da nossa liberdade. É ele que nos liberta de nosso medo, angústia, orgulho, egoísmo, irritabilidade.

Acredito que meu exemplo estava um tanto quanto deturpado. Espero ter o meu foco mais bem calibrado.

Um abraço a todos.

Continuo inspirando minhas postagens no Livro: "Os Segredos do Pai Nosso" - A Solidão de Deus - de Augusto Cury.

Fim de semana.

Esse final de semana estive no PIC (Pampulha Iate Clube), acompanhando a Copa Petrobrás de tênis. No meu caso, que sou fã do esporte foi maravilhoso. Mais ainda pelo fato do meu amigo Pablo Aguirre ter conseguido ingressos para a área de convidados do evento. Na sexta-feira acompanhei o jogo do Marcos Daniel contra o argentino Mariano Puerta. Vale lembrar que antes de ser suspenso por doping, Puerta chegou a ser o número 9 do ranking mundial. Foi muito legal vê-lo jogando. Um tênis de primeira. Já no sábado acompanhei as semifinais. Infelizmente Puerta foi eliminado pelo espanhol Puyol. Mesmo assim me senti enormemente grato de ter visto os tenistas nesse evento.

Fica aqui o meu agradecimento de coração ao Pablo pela cortesia. Estava esquecendo de dizer que ele é gerente de Marketing da DLD (Head do Brasil). Eles foram responsáveis por levar o torneio para o PIC. Parabéns a todos pela organização e pela participação de tenistas de renome no evento.

Vou deixar algumas fotos do torneio para vocês verem:

Ingressos

Mariano Puerta

Puyol

Durante o jogo

Valeu muito a pena ter assistido o torneio.

Um abraço a todos.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Esse final de semana foi um tanto quanto estranho. Digo isso, pois muitos dos filmes que passaram, quer na TV aberta, que na fechada, me fizeram pensar sempre em minha filha. Ou melhor, na minha relação como pai.

Alguns dos filmes que me recordo foram:

Doze é Demais (Cheaper by the Dozen) – Filme que passou na Rede Globo, com Esteve Martin e Bonnie Hunt. O filme conta a história da família Baker, que vivia em uma cidade pequena do interior onde o pai trabalhava como treinador de um time de futebol americano. Certo dia o pai recebe uma proposta para trabalhar em um grande time de futebol universitário. Esse era o seu sonho. Sem pensar muito ele se muda com a família para a cidade grande, a desgosto das doze crianças. A mãe, Kate, fica sabendo que o livro onde conta suas memórias será publicado, mas para tanto ela precisa ficar fora de casa por umas semanas. O pai, sozinho com os filhos, passa por muitas agruras. Depois de muitos problemas familiares causados pela mudança dos hábitos familiares, um dos filhos menores resolve fugir de casa por não se sentir mais amado. Todos os problemas fizeram os pais perceberem que não vale a pena ter realizações na vida mas perderem a família.
Aonde me identifiquei com o filme? Na parte do reencontro do pai com seu filho que estava em fuga. Deve ter sido duro para ele ouvir de seu pequeno: pensei que ninguém me amava. Isso mexeu comigo. Não consigo pensar em ouvir isso de minha filha um dia. E parei para pensar se eu largaria tudo por ela...



Batman Begins. Com Cristian Bale, Michael Caine, Liam Neeson, Katie Holmes, Gary Oldman, Rutger Hauer, Morgan Freeman. Esse passou ontem à noite no SBT. O filme conta como começou a saga do Cavaleiro das Trevas. Não vou entrar na história do filme, pois ela não interessa nesse momento. O que me marcou foram as cenas específicas em que a relação do filho era comparada com a do pai. Sempre se falando em orgulho. Quero sentir orgulho de minha filha um dia, mas, mais do que isso, quero que ela sinta orgulho do pai dela. Quero que ela mantenha viva a minha memória.









O Último Samurai (The Last Samurai). Com Tom Cruise e Ken Watanabe. A história do filme pra mim é muito emocionante. Mas também não vou me ater a ela. O que me marcou, na sétima vez que o vi, foi o fato dos filhos do Samurai, morto por Tom Cruise no filme, terem adotado o Capitão Nathan Algren como “padrasto”. Fiquei pensando, mais uma vez, em minha filhinha. Duas coisas. Não me imagino longe dela. Como ela seria criada longe do pai? Todavia vi que as pessoas acabam se virando quando as circunstâncias não permitem a elas outra opção. A vida continuou e a família se adaptou à nova figura paterna. Vocês devem se perguntar o motivo de eu me apegar apenas a essa parte do filme. Na verdade não é bem assim. Eu o vi várias vezes porque gostei da moral do filme. Mas esse final de semana estava mais afeito a pensar em minha filha.
Não sei o que está se passando em minha cabeça. Tenho pensando muito na Isabella. Os questionamentos acerca da minha postura como pai estão me incomodando. Ficam martelando em minha cabeça...
Ps.: As imagens retirei do site: http://www.cinepop.com.br/

Até que enfim foram sensatos.

Uma ação movida pelo IBDEC conseguiu liminar suspendendo a cobrança de tarifas de quitação de contrato. Essa tarifa funciona como uma espécie de multa para quem quer quitar antecipadamente um contrato de financiamento. Essa liminar é específica para o Banco HSBC, mas o IBDEC também tem processos contra o Itaú, Unibanco, Santander dentre outros. É uma vitória contra esse absurdo. Deve ser só no Brasil mesmo que alguém é constrangido a manter um financiamento, pois se quiser quitá-lo terá que pagar “multa”. Parabéns ao Exmo. Sr. Doutor juiz Robson Barbosa de Azevedo que em seu despacho assim entendeu: “a tarifa de liquidação antecipada (…) deixa o consumidor em desvantagem exagerada, incompatível com a vontade posta do cliente/ consumidor que pretende quitação ou resolução de seu débito”.

Metas

Quais são as minhas metas para essa semana? Bem vou relacionar algumas:

  1. Voltar a tomar meus remédios. Puxa vida, como sinto falta da Ritalina. Tive uma semana praticamente perdida por causa da total falta de concentração nas minhas atividades profissionais.
  2. Terminar impreterivelmente de ler os dois livros que estão na minha cabeceira. Não dá pra ficar tanto tempo parado sem abrir uma página dos mesmos.
  3. Estudar. Afinal de contas não há profissional que seja bem sucedido sem se atualizar, sem se manter atento às mudanças do mercado.
  4. Tomar uma decisão quanto à minha terapia. Parece que vou abdicar dela mesmo. Tenho que alocar melhor os recursos financeiros. Não quero ser comparado a um "fanfarrão" como diriam alguns - plagiando o filme "Tropa de Elite".
  5. Começar a desenvolver o projeto do meu livro. Sim, está na hora de pensar em tirá-lo do papel. Minhas memórias já estão em boa parte "contabilizadas".
  6. Dedicar um tempo para minha pequena. Sei que ela tem sentido minha falta. Isso tem sido um dilema em minha vida.
  7. Terminar no serviço algumas coisas que são para o final do mês. Tudo bem, você pode estar pensando que já estamos no final do mês. Mas eu tenho que dar conta.

No mais acho que é isso.

Um abraço a todos.

domingo, 28 de outubro de 2007

Garibaldo.

Editei essa postagem apenas para explicar que não sou comentarista de programas de televisão. Eu apenas dou valor para aquelas pessoas ou entidades que têm responsabilidade social. Simplesmente isso.
Garibaldo está de volta. A TV Cultura voltará a passar o famoso “Vila Sésamo”. A atração tem foco o público infantil. Muitos de nós ou de nossos pais aprenderam muito com esse programa. Ele é voltado para a alfabetização das crianças. Ainda bem que ainda temos na televisão programas e Redes de TV que se importam com o público e com o que eles levam para dentro de suas casas.

Número 1.

www.tenisbrasil.com.br

"Basiléia (Suíça) - Como era amplamente aguardado, Roger Federer derrotou facilmente o finlandês Jarkko Nieminen na final do ATP da Basiléia e faturou seu sétimo troféu da temporada 2007. O número 1 do mundo precisou de apenas 1h para aplicar 6/3 e 6/4 sobre o 29º do ranking. Federer, portanto, é bicampeão na terra onde nasceu."
Não precisa falar muito do cara. Cada dia melhor. Até mesmo na sua "pior" temporada como número 1 do mundo ele não deu chances a seus adversários. Esse ano está mais fácil do Nadal perder o posto de segundo melhor jogador do mundo do que alguém ameaçar Roger Federer...

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Letra - Good Luck

That’s it
There's no way
It's over, Good luck

I have nothing left to say
It’s only words
And what l feel
Won’t change

Everything you want to give me
It's too much
It’s heavy
There is no peace

All you want from me
Isn’t realth
at Expectations

Now even if you hold yourself
I want you to get cured
From this person
Who advises you

There is a disconnection
See through this point of view
There are so many special people in the world
So many special people in the world in the world
All you want
All you want

Now we're falling, falling, falling , falling into the night, into the night
Falling, falling, falling, falling into the night
Um bom encontro é de dois
Now we're falling, falling, falling , falling into the night, into the night
Falling, falling, falling, falling into the night

Vanessa da Mata - Participação Ben Harper

Polêmica.

Incrível. Não obstante as resistências encontradas, o governo federal vai editar na segunda semana de novembro portaria autorizando a inclusão no Serasa do nome de pessoas com débitos tributários inscritos na dívida ativa da União. Não se importando com a polemica gerada o procurador-geral da Fazenda Nacional, Luís Inácio Adams, informou que o governo não retrocedeu e está convicto do acerto e da legalidade da medida. A FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) já manifestou a intenção de apresentar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) depois que a portaria for editada. Além disso, o procurador reforçou a avaliação de que não é necessário aprovar um projeto de lei para que a medida seja adotada.

Vamos ver no que vai dar essa decisão do governo. Não sou contra a administração federal, todavia acho que essa é mais uma atitude do governo visando aumentar a arrecadação de impostos. Se pelo menos os recursos fosse bem empregados não encontraríamos tanta resistência.