quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Pensamento.

Nesse Natal ganhei da minha madrinha um livro de presente. Certamente ganhar um livro é acertar em cheio nos meus desejos. Desde que comecei o meu tratamento do TDAH me tornei um leitor assíduo de livros (bons e ruins). O que ganhei, em particular, me parece ser muito bom. Veremos.

“Alguns não conseguem afrouxar suas próprias cadeias e, não obstante, conseguem libertar seus amigos”.

“Você tem que estar preparado para se queimar em sua própria chama: como se renovar sem primeiro se tornar cinzas?”

Zaratustra.

Passagem retirada do livro: “Quando Nietzsche chorou” – Irvin D. Yalom


Identifiquei-me bastante com essas frases iniciais do livro. Primeiro por sempre achar que tenho uma facilidade enorme de ajudar ao próximo, porém, volta e meia, me vejo às turras com minhas próprias cadeias.

Em segundo lugar, sempre tive esse questionamento. Renovação. Principalmente nessa época de Natal que sempre ouvimos votos de renovação. O que percebo é que para atendermos esse propósito, necessitamos, tal como a ave Fênix (da mitologia egípcia), nos tornarmos cinzas para então surgirmos com um ânimo novo. Eu certamente acharia uma comparação bíblica para o que estou querendo dizer, mas no caso específico preferi esse exemplo que me parece mais ilustrativo.

Um abraço a todos.

Um comentário:

Baby disse...

Oi Leo, desculpe a ausencia e nem desejei feliz natal neh? bom mas com certeza seu natal foi feliz, ao lado deste anjnho que é sua baby, mas estou aqui pra te agradecer a visita e tb desejar feliz ano novo, se não aparecer antes é pq estou lá em Aracaju, curtindo um pouco pq ninguem é de ferro rsss, mas de coração um ano novo de paz e saúde porq o resto a gente corre atras, beijos no coração pra vc e sua família