sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Errar é humano, sonhar é divino.

A realização sempre é alcançada através de um caminho repleto de acidentes. Todos os erros que cometemos na vida são de valor inestimável para nós. As experiências com os erros deviam ser sempre exaltadas. Sábio aquele que aprende com seus erros.

Outro dia estava vendo minha pequena filha tentando caminhar. É impressionante como ela é persistente. Parece aquela propaganda do governo que diz “ela é brasileira e não desiste nunca”. São várias as tentativas e vários os tombos. Mas ela não se dá por vencida, sabe que vai conseguir. Em apenas nove meses de vida, Isabella já percebeu, mesmo que sem querer, que, se não insistir para conseguir as coisas que quer, ela se frustrará durante sua vida. Mas o maior segredo de tudo está no fato dela não ser punida por tentar! Exatamente. Toda vez que ela tenta se levantar e andar, sempre tem alguém a incentivando, dando força, torcendo por ela.

Na vida de uma criança é assim. Na vida dos adolescentes e dos adultos também. Se tivéssemos a capacidade de não punir as pessoas por seus erros, mas apenas incentivá-las a fazer diferente, tentar de novo, e de novo, e de novo... até conseguirem, o resultado seria fantástico. Na minha opinião, a punição gera trauma, obstrui a criatividade.

Toda vez que erramos, sonhamos com a situação inversa. Quando não passamos em um concurso, sonhamos com o cargo desejado. Quando não entramos na faculdade, ficamos nos imaginando dentro daquele curso. Não devemos ser punidos por errar, por ter falhado. Devemos ser incentivados a tentar de novo, mas de uma maneira diferente.

Não gosto de pessoas próximas a mim que sejam inseguras, tímidas, submissas. O erro é tão somente um caminho errado que tomamos. Se voltarmos atrás, teremos a oportunidade de tomar a estrada correta. Incentivo a todos que estão ao meu redor a serem mais criativos, pensantes, ousados, sonhadores.

Esse mês tive a grata surpresa de ver que o tanto que falei na cabeça dos meus “filhos” trouxe resultado. Dias atrás escrevi que estava trabalhando a idéia “faculdade” na cabeça de meus colaboradores. Não foi em vão. Alguns deles passaram no vestibular. Meu coração se encheu de alegria. Aqueles que viram o sonho não se tornar realidade, não foram criticados por mim, pelo contrário, disse a eles que com um pouco mais de empenho o próximo processo seletivo será uma “barbada”.

Esse é o segredo. Não punir pelo erro, pela falha. Sei que muitos deles não estarão aqui amanhã, mas minha missão estará cumprida. Dei a eles uma oportunidade única na vida. Ensinei-lhes que os sonhos devem se tornar realidade e não amigos de nossos travesseiros.

Deus abençoe aqueles que daqui para frente trilharão um caminho diferente.

Um abraço a todos.

Um comentário:

Luciana Cantanhede disse...

Oi, sabe sempre recebo seus posts por email, e esse realmente é lindo, tudo aquilo que podemos aprender com uma criança e colocar em prática, e melhor ainda ver resultados como vc teve oportunidade de ver é realmente compensador, parabéns.

bjss
Lu