sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Ser Pai.

Uma das coisas mais marcantes na minha vida foi o nascimento de minha amada filha. Esse será o meu primeiro “dia dos pais” e mesmo sabendo que essa data é mais comercial do que qualquer outra coisa, não deixarei de aproveitar cada momento com a “menina dos meus olhos”.

Acredito que uma das grandes mudanças que temos percebido na atualidade é a maneira como os homens têm se portado diante da paternidade. Nós estamos experimentando um novo papel de pai.

Podemos hoje perceber pais que não se importam mais de ter sua masculinidade questionada tão somente por participarem ativamente da vida de seus filhos, quer seja trocando uma fralda, ou dando uma mamadeira para a criança ou até mesmo levando o bebê para passear. Essas atitudes passaram de descriminadas para serem então incentivadas pela sociedade.

Como temos mulheres cada vez mais entretidas com atividades profissionais, nosso papel dentro de casa passou a ter uma importância maior. Temos que ter orgulho de poder partilhar as atividades domésticas e principalmente de sermos ativos na criação de nossos filhos.

Espero poder ser futuramente visto pela minha filha como um colaborador do seu desenvolvimento intelectual, emocional e social. Quero fazer parte de cada momento de sua vida sem ser para ela um empecilho. Nada demais em poder contar uma história, cantar uma canção de ninar, “assoprar o dodói”, dar um beijo de boa noite. Quero que minha filha se sinta amada por mim.

Posso então deixar algumas dicas para nós, os pais de primeira viagem (ou quem sabe até para aqueles que se julgam experientes):

· Estejam atentos às necessidades dos filhos. Precisamos ouvi-los, falar com eles.
· Valorizem seus filhos. Precisamos ajudá-los nos deveres de casa, na formação acadêmica, na criação de amizades. Devemos estar presentes em cada momento da vida deles.
· Saibam dizer não aos filhos. Não precisamos nos sentir culpados por isso. Faz parte da educação. Eles vão encontrar limites durante o seu crescimento. Temos que orientá-los quanto aos desafios e decepções da vida.
· Sejam amigos de seus filhos.
· Tenham, juntamente com o parceiro, opiniões coerentes diante das situações. Nada pior que dois pais que divergem quanto aos assuntos referentes aos filhos.

FILHA, PAPAI TE AMA.

Já disse isso aqui em uma oportunidade anterior. Mas isso não me cansa. Semana que vem volto para compartilhar como foi essa experiência de 1º Dia dos Pais.

Um abraço a todos.

Um comentário:

Lu disse...

Querido,
é difícil dizer que um pai não ama um filho, mas como já disse antes, creio que até pela expectativa desde pequeno de ser pai, seus olhos refletem um amor e carinho impressionantes por nossa filha.
Sei que esse amor será fundamental na educação dela. A cada dia que olhamos pra ela vemos mudanças e características "nossas" (uns 10% da mãe - nunca vi parecer tanto com o pai). Ser pai é saber que vc tem um papel fundamental na vida de sua filha e deixar de viver para si para viver por ela.
Feliz dia dos pais !
Te amo!