quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Criação II.

Como disse na postagem de ontem, minha filha completou 10 meses no último dia 05. Pretendo, daqui para frente, dedicar alguns minutos do dia lendo alguma história infantil para ela. Creio que a melhor hora é aquela em que a Isabella já está acomodada na cama tomando sua mamadeira. Nesse momento sua atenção não está voltada para os objetos da casa, nem brinquedos, nem engatinhar, nem andar.

Quero encorajá-la a ver as figuras dos livros, associando-as a objetos do cotidiano. Virar as páginas, minha baixinha já está craque. Não pode ver uma revista que lá está ela revirando todas as páginas. Os livros que tenho comprado para ela, sempre possuem algum tipo de sentido de tato. Ou algum bichinho de pelúcia colado no livro, ou um buraco que ela possa passar a mão, ou lagartas coladas. Sempre procuro dar a ela algum estímulo. Dentro em breve imagino que ela escolherá seu bicho de pelúcia favorito para o sono.

Infelizmente descobri tardiamente que não precisava gastar muito dinheiro comprando brinquedos para a Isabella. Ao invés de brincar com os inúmeros presentes que ela tem, minha princesa prefere muitas vezes, uma vasilha plástica, um copo de iogurte, uma caneca de plástico, ou pequenos utensílios da casa. Os brinquedos vivem jogados de lado. Na verdade ela sempre abre a caixa de brinquedos e joga-os todos para fora. Essa é uma de suas diversões.

Outro dia estava discutindo sobre a questão das proibições e negativas à Isabella. Ainda tenho comigo que ela é muito nova para viver sendo repreendida e recebendo “não” a todo momento. Não quero repreender sua curiosidade, pois acredito que ela é chave para o desenvolvimento de sua inteligência. É claro que tudo deve ser feito sob a supervisão de um adulto.

Gostaria de deixar aqui uma impressão. Quando o bebê chora por fome corremos e lhe alimentamos. Agindo dessa maneira não estamos estragando nossos filhos, certo? Assim sendo, quando nosso bebê chora por tédio, quando está preso em seu cercadinho, se o tiramos dali para “alimentar” sua mente. A criança necessita de estímulos mentais, e o fato de deixarmos ela “livre” não é nenhum mimo, ou atitude que a fará nos governar.

Segundo Piaget, a quantidade de estímulos sensórios e atividades motoras presentes no primeiro ano de vida da criança estarão refletidos em seu comportamento de aprendizado nos anos seguintes.

Um abraço a todos.

Ps.: Estava me esquecendo de uma coisa. Muitas das coisas que penso em relação a minha filha necessitariam mais da minha presença...

2 comentários:

Baby disse...

Oi Leo, passei pra te deixar um abraço e ler seus post, achei interessante essa sua idèia de deixar sua filhota livre para desenvolver seu potencial. concordo que muito não é meio castrador, mas se vc a supervisiona e ela quer enfiar o dedinho no buraco da tomada, um não, não vai evitar que ela o faça, pq eu acredito q ela não sabe ainda q esse não é para evitar um choque eletrico, e se ela por e levar o choque, ela aí, entenderá que seu não é por uma necessidade, sei lá, acho que saber dizer não as vezes tb eh necessario, mas eu sou so uma estudante e nem filhos tenho, mas tenho uma sobrinha lindissima de quase dois anos, bom chega ja tc muito rss beijos e fica com Deus e a melhor Educação é a inutição, basta vc segui-la beijosss

Lucila disse...

Amor,
Sei que temos milhões de expectativas e visões na criação e desenvolvimento da Isabella. Peço a Deus que nos dê sabedoria, paciência e perseverança em nosso dia a dia de pais.
Beijos.