quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Celebração.

O aniversário da Isabella está chegando. Puxa, como passa rápido... 1 aninho. É maravilhoso ver a benção que minha filha é em minha vida. Mas aqui estou não para falar dela, mas do momento especial que é a celebração.

Todos nós sempre pensamos que os amigos são necessários nas horas difíceis. Isso é verdade, totalmente verdade. Os amigos são o ombro que nos acolhe, a muleta que nos ajuda a caminhar, a ajuda na hora do desespero.

Todavia os amigos também servem para um momento talvez mais especial: o de celebração. Se meus amigos são importantes para mim nos momentos difíceis, eles também o são durante minhas celebrações. Algum de vocês já realizou algum feito difícil sozinho? Pode até ser que sim, isso é até muito provável, mas vocês já pensaram como é ruim comemorar sozinho? Não tem graça, falta alegria.

Por isso estou preparando uma pequena festa para minha pequena. Nada de muito luxo, até mesmo por que a coisa anda apertada. Todavia quero que meus amigos estejam presentes. Ah, tudo bem, vocês vão falar que eu sempre disse que tenho apenas dois amigos... Em parte isso é verdade, mas procuro a cada dia me abrir mais com as pessoas e me interagir com elas. Talvez aqueles que dividem o mesmo ambiente de trabalho comigo saibam disso. Em muito me incomodo e tendo mudar meu comportamento sendo menos evasivo com as pessoas.

Portanto meus amigos, gostaria de poder celebrar com vocês. Celebrar a vida. Celebrar a glória de Deus que vejo sempre que admiro minha filhinha.

Lembrem-se: “nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação”. (2 Co 4:17).

Um abraço a todos.

2 comentários:

Grási disse...

Risos... seu comentário sobre o fato de ter só dois amigos foi ótimo! risos... Cheguei a imaginar a festinha com você e dois amigos apenas... rsrsrs
Mas, infelizmente é uma análise constante que temos que fazer sobre as pessoas que chamamos de amigos. Alguns estão sempre por perto nas festas, nas 'farras', enquanto você está bem. Basta algum problema para perceber que se você não tem nada a oferecer, nem todos estão dispostos a caminhar ao seu lado, dividir amarguras, ouvir, ceder. Isso me faz pensar muito nos valores das pessoas, e fico muito frustrada quando me pego numa situação de interesse. Seja ele qual for. Se a gente não se policia, buscaremos sempre o que o outro tem a oferecer, e nunca seremos capazes de exercer a caridade. E, se fora da caridade não há salvação, acho que tem pouquíssimas pessoas com o tal passaporte para o céu... risos.

Brincadeiras a parte, Leo, em minhas orações peço sempre a Deus que me ajude a ser melhor, a merecer o título de "amiga", porque ser amigo é realmente uma missão muito nobre.

Abraço grande.

rinapri disse...

quando Isabella faz 1 ano? Minha sobrinha completa dia 15/2, mas os pais resolveram fazer feeesta (por mim, festa de criança seria com 5 anos, quando ela pode participar e se divertir e entender totalmente o que tá acontecendo). Parabéns pra Isabella!
Tava lendo ali seu post sobre suas preocupações em ela também ser TDAH. Acho que ela já é muito abençoada em ter um pai que já conhece a problemática E a solucionática da situação. Cabe a vc e à sua esposa orientarem e apoiarem a Isabella pra que ela nao sofra tudo o que nós, DDAs adultos, sofremos até ter o diagnóstico... li um livro recentemente, "Mentes Inquietas", tem até um link no meu blog. Achei fantástico pq a autora esmiúça bem a questão e mostra medidas práticas pra se viver bem com o TDAH. E com certeza será muito mais fácil pra ela se adaptar e criar metodologias pra organizaçao e disciplina do que foi/tem sido pra voce (e pra mim!). Deus vai abençoa-la nisso e a vocês, pais, também...
nossa, que carta!rsss... bom restinho de semana!