terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Pensamento II.

"Até onde você vai na vida depende de ser terno com os jovens, compadecido com os idosos, simpático com os esforçados e tolerante com os fracos e fortes. Porque em algum momento da vida você vai descobrir que já foi tudo isso".
George Washington.
Eu já percebi isso em minha vida. Tem pessoas que convivem comigo que me acham doce, afetuoso, gentil, ponderado. Por outro lado exitem aqueles que me acham grosseiro, cabeça quente, estourado, amargo. Qual será o motivo? Acho que é a maneira como encaro meus relacionamentos. Isso precisa mudar... e é urgente!

Um comentário:

luma disse...

Talvez o excesso de intimidade faça ser mais relaxado nos relacionamentos. Explico:

Existe uma pesquisa entre os psicólogos que revela o porque ferimos as pessoas que mais amamos e muitas vezes tentamos preservar as pessoas de fora, pessoas que nem conhecemos direito, tentando atender seus pedidos e nunca falar não. Sendo sempre educado, prestativo...

A razão é simples: temos certeza do amor dos nossos familiares por nós. Sentimos mais à vontade para magoá-los, dizendo coisas que ferem. Acreditamos no perdão incondicional que sempre vem deles.

Não deveria ser assim. O fato de sabermos lidar bem com nossas vontades em casa e não sabermos nos defender lá fora não ajuda em nada. Será mesmo que as pessoas vão gostar menos da gente se de vez em quando negarmos um sim ou mesmo um favor? Nessas horas saberemos quem se importa conosco, porque estes terão a capacidade de entender e nos respeitar também.

Querer melhorar é sempre bom! Beijus